Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

PARIS, 13 Out (Reuters) – O ex-secretário-geral da Fifa
Jérôme Valcke negou ter recebido "vantagens indevidas" de Nasser
Al-Khelaifi, diretor-executivo do grupo beIN Media do Catar e
presidente do time francês Paris St Germain, depois que
procuradores suíços iniciaram uma investigação criminal.
Na quinta-feira o Escritório do Procurador-Geral da Suíça
disse suspeitar que Valcke aceitou "vantagens indevidas" de
Al-Khelaifi relacionadas à concessão de direitos de transmissão
de televisão para as Copas do Mundo de 2026 e 2030. "Só quero
dizer que não é verdade. Nunca fiz isso. Nunca recebi nada em
troca de nada", afirmou Valcke ao diário esportivo francês
L'Équipe nesta sexta-feira.
"Refuto as acusações contra mim ou Nasser. Nunca recebi nada
de Nasser, posso garantir a vocês. Jamais houve nenhuma troca
entre Nasser e eu. Nunca."
Valcke era o braço direito de Joseph Blatter quando este
presidia a Fifa.
Também na quinta-feira a BeIN Media negou qualquer
irregularidade e disse estar cooperando com as autoridades.
(Por Julien Pretot; reportagem adicional de Joshua
Franklin)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447505))
REUTERS MPP