Clicky

Profitchart Pro 728×90

PARIS, 13 Out (Reuters) – Líderes de França, Grã-Bretanha e
Alemanha alertaram os Estados Unidos contra a tomada de decisões
que possam prejudicar o acordo nuclear com o Irã, como voltar a
impor sanções depois de o presidente norte-americano, Donald
Trump, anunciar que não certifica o acordo.
"Nós incentivamos o governo e o Congresso dos Estados Unidos
a levar em conta as implicações para a segurança dos EUA e seus
aliados antes de tomar alguma decisão capaz de prejudicar o
JCPOA, como voltar a impor sanções sobre o Irã suspensas por
meio do acordo", disseram o presidente Emmanuel Macron (França),
a chanceler Angela Merkel (Alemanha) e a primeira-ministra
britânica, Theresa May, em um comunicado conjunto.
Trump impôs nesta sexta-feira um revés ao acordo nuclear
sobre o Irã, firmado em 2015, desafiando outras potências
mundiais ao decidir que não certificará que o Irã cumpre com o
acertado e alertando que poderá terminar de imediato com o
pacto.
Os três líderes mundiais, que chegaram a um consenso antes
do anúncio de Trump para ter um posicionamento comum,
ressaltaram que apoiam o acordo.
Afirmaram também que compartilham as preocupações dos EUA
sobre o programa de míssil balístico iraniano e atividades
regionais e se declararam prontos a trabalhar junto com o
governo norte-americano em relação a essas questões.
"Nós estamos prontos para tomar medidas apropriadas
futuramente em uma cooperação próxima com os EUA e todos os
parceiros relevantes", afirmaram.
"Nós esperamos que o Irã se envolva em um diálogo
construtivo para deter ações desestabilisadoras e trabalhar na
direção de soluções negociadas."
(Reportagem de John Irish, Michel Rose, Marine Pennetier)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447505))
REUTERS MPP


Assuntos desta notícia

Join the Conversation