Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

WASHINGTON, 1 Dez (Reuters) – O ex-conselheiro de segurança
nacional dos Estados Unidos Michael Flynn se declarou culpado na
sexta-feira de mentir para o FBI sobre a Rússia, e a ABC News
noticiou que está preparado para testemunhar que, antes de
assumir o cargo, o presidente Donald Trump o havia orientado
para entrar em contato com os russos.
A Reuters não pôde verificar imediatamente o relato da ABC,
que citou um confidente Flynn. A notícia jogou fortemente para
baixo as ações nos Estados Unidos.
Flynn, um importante assessor da campanha de Trump e figura
central em uma investigação federal sobre a alegada
interferência de Moscou na eleição presidencial dos Estados
Unidos de 2016, declarou-se culpado na sexta-feira, sob um
acordo de colaboração, por mentir para o FBI.
Sua decisão de cooperar com a investigação liderada pelo
conselheiro especial Robert Mueller representa uma grande
escalada em uma investigação que tem perseguido a administração
de Trump desde que o presidente republicano assumiu o cargo em
janeiro.
A ABC News citou um confidente dizendo que Flynn estava
pronto para testemunhar que Trump o orientou a entrar em contato
com os russos, inicialmente como uma maneira de trabalhar juntos
para lutar contra o grupo Estado Islâmico na Síria.
Não estava claro quando Trump supostamente disse a Flynn
para entrar em contato com os russos e se haveria algo ilegal ao
solicitar esse contato.
Flynn se declarou culpado de fazer declarações falsas sobre
os contatos que ele teve em dezembro com o embaixador da Rússia
nos Estados Unidos, Sergei Kislyak, durante o período de
transição depois que Trump foi eleito e antes de assumir a
Presidência. As acusações podem levar a uma pena de até cinco
anos em prisão.
A Casa Branca disse que ao assumir a culpa Flynn implicou
apenas a si mesmo.
"Nada sobre essa assunção de culpa ou a acusação implica
alguém além do sr. Flynn", disse Ty Cobb, advogado da Casa
Branca, em um comunicado na sexta-feira.
Flynn foi forçado a deixar seu cargo na Casa Branca em
fevereiro por ter levado o vice-presidente Mike Pence a um
entendimento errado sobre suas conversas com o embaixador.
"As declarações falsas envolvidas refletem as falsas
declarações aos funcionários da Casa Branca que resultaram em
sua renúncia em fevereiro deste ano", disse Cobb, acrescentando
que a assunção de culpa "abre caminho para uma conclusão rápida
e razoável" da investigação de Mueller.
Moscou negou a conclusão das agências de inteligência dos
Estados Unidos de que se envolveu na campanha eleitoral para
tentar influenciar o voto a favor de Trump. O presidente
norte-americano negou qualquer conluio de sua campanha e
classificou a investigação de Mueller de uma caça às bruxas.
Flynn disse na sexta-feira que a decisão de se declarar
culpado e de cooperar com a investigação foi "feita no melhor
interesse da minha família e do nosso país".
Em um comunicado divulgado pelo escritório de advocacia que
o representa, Flynn também disse que é "doloroso suportar" as
"falsas acusações de 'traição' e outros atos ultrajantes" nos
últimos meses, mas que ele reconheceu "que as ações que eu
admiti em corte hoje foram erradas".
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702))
REUTERS AC


Assuntos desta notícia

Join the Conversation