Clicky

MetaTrader 728×90

4 Jun (Reuters) – O Facebook rejeitou alegações do
New York Times de que permitiu acesso profundo da Apple e de
outros fabricantes de dispositivos a dados pessoais de usuários,
dizendo que tais informações são rigidamente controladas e
amplamente sujeitos a consentimento dos usuários.
O software mencionado pelo jornal foi lançado há 10 anos e
foi por cerca de 60 empresas, incluindo Amazon , Apple
, Blackberry , HTC , Microsoft
e Samsung , escreveu no domingo em um post o
vice-presidente de parcerias de produtos do Facebook, Ime
Archibong.
O Times afirmou que o Facebook permitiu que as empresas
acessassem os dados de amigos dos usuários sem consentimento
explícito, mesmo depois de declarar que deixaria de compartilhar
tais informações com pessoas de fora.
Segundo o jornal, alguns fabricantes de dispositivos podem
recuperar informações pessoais mesmo de amigos de usuários que
acreditavam ter impedido qualquer compartilhamento.
"Ao contrário do que afirma o New York Times, informações de
amigos, como fotos, só eram acessíveis em dispositivos quando as
pessoas tomavam a decisão de compartilhar suas informações com
esses amigos", disse Ime Archibong.
O Facebook tem estado sob escrutínio de reguladores e
acionistas após os dados de cerca de 87 milhões de usuários
terem sido compartilhados com a agora falida empresa de dados
políticos Cambridge Analítica.
O escândalo de dados foi relatado pela primeira vez em março
pelos jornais New York Times e pelo Observe, de Londres.
Archibong também disse que esses casos são "muito
diferentes" do uso de dados por terceiros desenvolverdes, como
na questão da Cambiardes.
(Por Supantha Mukherjee)
((Tradução Redação São Paulo; + 55 11 5644-7712))
REUTERS AAP


Assuntos desta notícia