Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

SEUL, 14 Mar (Reuters) – O ex-presidente sul-coreano Lee
Myung-bak foi interrogado nesta quarta-feira para responder
alegações de que recebeu subornos quando estava no cargo, depois
de meses de investigações sobre sua família e conhecidos
derivadas das acusações de corrupção.
Lee abriu caminho entre as centenas de repórteres que
aguardavam diante da Procuradoria-Geral para lhe fazer perguntas
a respeito do escândalo de corrupção de alto escalão mais
recente a abalar o país.
"Estou diante de vocês hoje com um coração trágico. Ofereço
minhas desculpas mais sinceras ao povo por causar preocupações
em um momento no qual a economia está em dificuldades e a
situação na península coreana é grave", disse Lee.
"Tenho muito a dizer como ex-presidente, mas estou sempre
dizendo a mim mesmo que deveria evitar dizer muito",
acrescentou.
Lee enfrenta quase 20 acusações, e a procuradoria acredita
que ele recebeu dinheiro ilegalmente de uma série de
instituições e indivíduos, incluindo o Serviço Nacional de
Inteligência do país e o Grupo Samsung.
No mês passado, os procuradores pediram uma pena de 30 anos
de prisão para a ex-presidente Park Geun-hye, a sucessora de
Lee, que sofreu um impeachment no ano passado devido a um
escândalo de tráfico de influência e está sendo julgada por
acusações de aceitação de suborno, abuso de poder e coerção.
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia