Clicky

MetaTrader 728×90

BRUXELAS, 15 Fev (Reuters) – Roland Van Hauwermeiren,
ex-diretor da organização Oxfam que está no centro de um
escândalo sexual, disse a um jornal belga que não nega todas as
alegações feitas contra ele, mas reclamou do que descreveu como
"muitas mentiras e exageros".
Em sua primeira resposta pública às acusações feitas na
semana passada sobre festas de sexo realizadas durante o período
em que estava liderando as operações da organização de caridade
no Haiti depois do terremoto de 2010, Van Hauwermeiren também
disse que sua família havia cortado laços com ele, segundo o
jornal De Standaard.
"Eu realmente não estou a fim de comentar… O que eu vejo
sendo publicado em todos os lugares é difícil de aguentar.
Machuca", disse o ex-militar, de 68 anos, sobre as alegações
publicadas no jornal britânico Times de que ele teria se
envolvido com prostitutas no Haiti.
"Mas, vocês deveriam saber que muitas pessoas, incluindo na
mídia internacional, vão ficar vermelhas de vergonha quando
ouvirem minha versão dos fatos", disse ao De Standaard. "Não é
que eu negue tudo. Há coisas que foram descritas corretamente.
Mas, há muitas mentiras e exageros".
"Festas toda semana? Casas luxuosas? Mulheres pagas com o
dinheiro da organização?".
Van Hauwermeiren disse ao jornal que irá responder por meio
de um advogado no devido tempo, acrescentando: "É especialmente
difícil que a minha família não queira mais me ver".
A Reuters não pôde encontrar Van Hauwermeiren para comentar,
e não foi capaz de verificar de maneira independente as
alegações contidas na reportagem do Times.
(Reportagem de Robert-Jan Bartunek)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 22237141))
REUTERS MCP PF


Assuntos desta notícia