Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

QUITO, 11 Jan (Reuters) – O fundador do WikiLeaks, Julian
Assange, recebeu a cidadania equatoriana em 12 de dezembro após
solicitá-la, informou nesta quinta-feira a ministra de Relações
Exteriores do país sul-americano, acrescentando que está
buscando uma solução junto ao Reino Unido para o ativista que
está isolado há anos na embaixada do Equador em Londres.
O Reino Unido havia anunciado mais cedo nesta quinta que
rejeitou um pedido do Equador para que concedesse a Assange um
status diplomático.
Assange está abrigado na embaixada equatoriana em Londres,
sem poder sair do prédio, há mais de cinco anos, após ter
buscado asilo para evitar ser extraditado para a Suécia por
acusações de estupro.
A ministra de Relações Exteriores do Equador, María
Fernanda Espinosa, confirmou nesta quinta o pedido de cidadania
de Assange em uma entrevista coletiva em Quito, na qual disse
que teme por ameaças de outros países à vida do fundador do site
de vazamentos de informações.
"Nenhuma opção de saída do abrigado da embaixada poderia se
concretizar sem as seguranças necessárias e sem um acordo prévio
com os países interessados", disse a chanceler em entrevista
coletiva.
(Reportagem de Alexandra Valencia, em Quito; Reportagem
adicional de Mark Hosenball, em Londres)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF ES


Assuntos desta notícia