Clicky

MetaTrader 728×90

BRASÍLIA, 18 Jan (Reuters) – O presidente Michel Temer
afirmou, em resposta a perguntas feitas pela Polícia Federal,
que "depositava confiança" em Rodrigo Rocha Loures quando
exercia o cargo de assessor especial da Presidência, mas
destacou que nunca pediu-lhe para receber recursos do grupo J/S
e de outras fontes, lícitas ou ilícitas, em seu nome.
Temer encaminhou nesta quinta ao Supremo Tribunal Federal
(STF) um documento de 10 páginas com respostas por escrito a
questionamentos feitos pela PF no inquérito que o investiga por
corrupção passiva e lavagem de dinheiro na edição de um decreto
que prorrogou contratos de concessão e arrendamento portuários,
medida que, segundo as apurações, poderia beneficiar a empresa
Rodrimar, que opera no Porto de Santos.
O presidente disse que a Rodrimar não foi beneficiada com a
edição dos decretos, anexando documentos do Ministério dos
Transportes. Ele também disse que não foi procurado por
representantes do setor portuário e dirigentes da Rodrimar para
tratar do assunto, destacando que a matéria ficou no âmbito de
uma comissão do próprio Ministério dos Transportes.

(Reportagem de Ricardo Brito; Edição de Eduardo Simões)
(([email protected]; 55 11 5644 7759; Reuters
Messaging: [email protected]))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia