Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por José Roberto Gomes
SUMARÉ, São Paulo, 14 Mar (Reuters) – A fabricante
norueguesa de fertilizantes Yara , líder do mercado no
Brasil com fatia de 25 por cento, avalia que os negócios de
adubos no país começaram mais lentos no início do ano, quando
produtores estavam mais reticentes em fechar negócios, disse
nesta quarta-feira o presidente da empresa no Brasil, Lair
Hanzen.
Mas ele disse, sem elaborar, que o mercado pode melhorar.
"O compasso (de vendas de fertilizantes) foi um pouco mais
lento neste início de ano. Consequentemente nossos estoques
também estão maiores. Mas acreditamos que esse mercado não volta
para trás", afirmou o executivo em evento da Yara em Sumaré,
onde a empresa inaugurou uma unidade de fertilizantes foliares.
Os preços de soja e milho ficaram mais firmes por influência
da quebra de safra na Argentina pela severa seca, o que disparou
vendas de produtores.
Questionado sobre o impacto disso para os negócios da Yara,
ele evitou fazer comentários, ressaltando apenas que a
perspectiva de agora em diante é favorável com as compras para
próxima safra.
Sem vendas anteriormente, o agricultor acabou ficando
descapitalizado e adquiriu menos insumos para as lavouras de
soja e, principalmente, de milho safrinha.
As vendas de fertilizantes no Brasil atingiram um recorde no
ano passado de 34,4 milhões de toneladas, mas no primeiro
bimestre recuaram cerca de 2 por cento, segundo dados da
Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda).

(Edição de Roberto Samora)
(([email protected] 5511 5644 7751 Reuters
Messaging: [email protected]))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia