Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

CARACAS, 14 Nov (Reuters) – O governo venezuelano afirmou
que o plano para refinanciar cerca de 60 bilhões de dólares em
títulos foi iniciado com sucesso depois da reunião de credores
em Caracas, mas a S&P Global Ratings classificou a nação como em
calote seletivo pelo não pagamento da dívida.
O comitê de negociação do presidente Nicolás Maduro
reuniu-se brevemente na véspera com investidores, mas não
ofereceu propostas firmes sobre sua intenção de reformular a
dívida externa da Venezuela em meio à crise econômica.
"O processo de refinanciamento da dívida externa da
Venezuela começou com sucesso retumbante", declarou o governo em
comunicado na segunda-feira.
Os cerca de 100 participantes da reunião incluíam detentores
de títulos da Venezuela: Estados Unidos, Panamá, Reino Unido,
Colômbia, Chile, Argentina, Japão e Argentina, afirmou o
comunicado.
"O início deste refinanciamento da nossa dívida ratifica a
nossa intenção de cumprir, como sempre fizemos, com todas as
nossas obrigações", informou.
Os detentores de títulos, no entanto, veem as coisas de
maneira diferente. Eles saíram da reunião ainda confusos sobre
como a Venezuela planeja evitar um calote, dado o estado de suas
finanças, e sobre como qualquer refinanciamento pode ser
resolvido com as sanções do presidente dos EUA, Donald Trump,
que bloqueiam a emissão de novos títulos de dívida venezuelana.
Além disso, a S&P classificou a Venezuela como em calote
seletivo após não conseguir fazer pagamentos dos títulos com
vencimento em 2019 e 2024 dentro do período de 30 dias. A
agência alertou que há forte chance de o país não efetuar mais
pagamentos dentro de três meses.
(Por Andrew Cawthorne)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7509))
REUTERS TF PD


Assuntos desta notícia

Join the Conversation