Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

BUENOS AIRES, 14 Fev (Reuters) – Condições predominantemente
secas que afetam a região agrícola da Argentina continuarão
durante a segunda metade de fevereiro, causando mais reduções
nas produtividades de soja e milho em 2017/18, disseram
especialistas nesta quarta-feira.
A seca, que desde o final de 2017 se instalou na região
produtora de grãos da Argentina, já levou as principais bolsas
do país sul-americano a reduzirem suas previsões de colheita
para as safras de soja e milho e tem sido um constante fator nos
preços futuros da soja no mercado de Chicago.
"O assunto é sério, seria quase um milagre se não continuar
a seca no que resta em fevereiro", disse à Reuters Germán
Heinzenknecht, meteorologista da Consultoria Climatologia
Aplicada, que acrescentou que a persistência de escassez de água
afetará os rendimentos.
Eduardo Sierra, assessor climático do Bolsa de Cereais de
Buenos Aires), concordou que, para restante do mês, não haveria
chuva significativa na região afetada.
"Março tem estatisticamente condição de chuvas em geral mais
importante. Mas vamos levar o atraso (de água no solo) de
janeiro e fevereiro, e hoje mudar essa situação é difícil",
disse Heinzenknecht.
A Argentina é o principal exportador mundial de óleo e
farelo de soja e o terceiro de milho.
(Por Maximilian Heath)
((Tradução Redação São Paulo 55 11 56447751))
REUTERS RS


Assuntos desta notícia

Join the Conversation