Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Os preços do comércio eletrônico registraram deflação de 3,13% em janeiro, na comparação com o mesmo período de 2016, aponta o Índice FIPE Buscapé. Trata-se do segundo mês seguido de deflação, após uma série de 21 meses de preços em alta. Em relação a dezembro de 2016, os preços registraram alta de 1,67%.

Entre as 150 categorias monitoradas pelo índice, metade registrou queda de preços, na comparação com o mesmo período do ano passado. A deflação no e-commerce foi impulsionada pela queda de preços na categoria telefonia (-12,11%), eletrônicos (-4,70%) e informática (-2,74%). “Além dos saldões, tradicionais no varejo no mês de janeiro, os preços dos smartphones registraram forte queda no período, impulsionada pelo anúncio de lançamentos de diversas marcas, entre elas a Samsung (aparelhos da linha A), além dos rumores sobre novos aparelhos da Apple”, afirma Sandoval Martins, CEO do Buscapé.

Chart Trading 300×250

Martins lembra que, por conta de sua composição e características, a cesta de produtos do e-commerce tende a ser deflacionária em condições ideais de mercado. A comparação é feita sempre dos mesmos produtos, que propendem à desvalorização com a disseminação da tecnologia, lançamento de um produto superior na mesma categoria ou troca de coleção e mostruário. “De abril de 2015 a novembro de 2016 os preços do comércio eletrônico registraram alta, influenciados pela deterioração do cenário político e econômico, escalada do dólar e aumento do desemprego. O mercado está mais otimista com relação às perspectivas para a economia do país e isso também reflete no índice”, explicou.

Preços gerais

A inflação dos preços gerais, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi de 5,35% nos últimos 12 meses terminados em janeiro, o que mostra que os preços do comércio eletrônico tiveram variação de -8% aos preços gerais da economia.


Assuntos desta notícia