Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

A ANEEL está realizando nesta sexta-feira na BM&FBovespa (SP), a segunda etapa do Leilão de Linhas de Transmissão nº 13 de 2015.

Acompanhe o resumo:

MetaTrader 300×250

Duas linhas de transmissão localizadas na Bahia e Piauí foram arrematadas pelo consórcio Sertanejo (Cymi Holding S/A – 50% e Brasil Energia Fundo de Investimentos em Participação – 50%).

O valor ofertado pela empresa foi de R$ 148,3 milhões representando um deságio médio de 13,4% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial estabelecida pela Agência de R$ 171,2 milhões. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

O lote 10 possui duas linhas com 485 km de extensão.

A Equatorial Energia venceu o lote 9. A empresa apresentou oferta de R$ 70,5 milhões, representando um deságio de 27,99% em relação à RAP prevista pela Agência no valor de R$ 98 milhões.

O lote 9 possui uma linha de transmissão com 213 km localizada na Bahia.

O Lote 8 é da Equatorial Energia S/A. A empresa apresentou oferta de R$ 77,8 milhões, com deságio de 15,99%, em relação à RAP prevista pela Agência no valor de R$ 92,6 milhões.

O lote 8 é composto por uma linha de transmissão com 251 km de extensão localizada na Bahia

O consórcio Olympus (Alupar Investimentos S/A – 99%, Perfin Administração de Recursos Ltda – 0,5% e Apollo 11 Participações S/A – 0,5%) arrematou o lote 6. Não houve deságio em relação ao preço inicial de R$ 145,9 milhões.

O lote 6 é composto por duas linhas que somadas possuem 288 km de extensão, além de duas subestações com 1050 MVA de potência.

O lote 5 do leilão foi vencido pelo consórcio ECB – Mota – Engil (Empresa Construtora Brasil S/A – 99% e Mota-Engil Engenharia e Construção S/A – 1%). O consórcio apresentou oferta de R$ 17,6 milhões, o que ocasionou deságio de 17,35% em relação à RAP prevista pela Agência no valor de R$ 21,3 milhões.

O lote 5 possui uma subestação a ser construída em Minas Gerais.

O consórcio Columbia (Taesa – 50%, CTEEP – 50%) venceu o lote 3 do leilão realizado pela ANEEL hoje na sede da BM&FBovespa . O consórcio apresentou oferta sem deságio em relação à RAP prevista pela Agência no valor de R$ 106,6 milhões.

O lote 3 contém uma linha de transmissão com 338 km localizada nos Estados da Bahia e Minas Gerais.

Outra linha de transmissão de 208 km de extensão de Minas Gerais foi arrematada ainda pelo consórcio Columbia . O valor ofertado pela empresa foi sem deságio em relação à RAP inicial estabelecida pela Agência de R$ 71,4 milhões.

Duas linhas de transmissão e duas subestações de Minas Gerais e Bahia, que compõem o lote 2, foram arrematadas pelo consórcio Olympus (Alupar Investimentos S/A – 99%, Perfin Administração de Recursos Ltda – 0,5% e Apollo 11 Participações S/A – 0,5%).

O valor ofertado pela empresa foi de R$ 214,7 milhões representando um deságio médio de 18,85% em relação à RAP inicial estabelecida pela Agência de R$ 264,5 milhões. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

O lote 2 possui 537 km de linhas de transmissão e 1200 megavolt-ampère (MVA) de potência de subestações localizados nos Estados da Bahia e Minas Gerais.

O Lote 1 foi arrematado pelo consórcio CP II (N.A.S.S.P.E Empreendimentos e Participações S/A -90%, e BTG Pactual Holding Internacional S/A -10%). A empresa apresentou oferta de R$ 76,7 milhões, representando um deságio de 10,22% em relação à RAP prevista pela Agência no valor de R$ 85,4 milhões.

O consórcio vencedor ofereceu a menor RAP em relação ao teto estabelecido pela Agência. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

Os lotes 1,2,3,4,5,6,7,14,15,16,17,18,19 e 20 são necessários para aumentar a capacidade de transmissão da interligação Nordeste-Sudeste e buscam o adequado escoamento dos atuais e futuros empreendimentos de geração previstos para serem implantados no Nordeste.


Assuntos desta notícia