Clicky

Saldo da balança comercial em julho mostra superávit de US$ 1,04 bilhão

mm TD 728

A Bovespa interrompeu sequência de quatro pregões consecutivos de queda e voltou a trilhar o caminho da alta. Mercados em alta na Europa e nos EUA. Petróleo revertendo perdas servem para justificar comportamento. Isso a despeito do fato de o clima político local seguir tenso.

No cenário externo, o BOJ divulgou avaliação da economia melhor, mas a aprovação do governo de Shinzo Abe (primeiro ministro) está no menor nível desde 2012. Nos EUA, o índice de tendência de emprego do Conference Board caiu para 133,07 pontos em junho e o volume de crédito ao consumidor de maio subiu para US$ 18,41 bilhões, quando o esperado era US$ 12,0 bilhões.

Na sequência dos mercados no exterior, o petróleo WTI foi negociado em alta de 0,50%, com o barril cotado a US$ 44,45. Convém lembrar que durante a manhã chegou a estar em queda de mais de 2,0%, quando o noticiário dava conta que a Líbia e Nigéria poderiam ampliar produção de óleo. Na parte da tarde, sugiram notícias de que a OPEP poderia limitar a produção. O euro era transacionado em alta para US$ 1,140 e os notes americanos de 10 anos com juros de 2,37%. O Ouro e a prata operaram em alta na Comex e as commodities agrícolas na bolsa de Chicago em alta.

No segmento local, a pesquisa Focus semanal do Bacen veio melhor com inflação em queda (3,38%) em 2017, PIB em queda para 0,34% e taxa Selic também em queda para 8,25% (anterior em 8,50%). A produção industrial prevista para 2017 subiu para 0,84%, vindo de 0,66%. O saldo da balança comercial na primeira semana de julho mostrou superávit de US$ 1,04 bilhão, deixando o saldo acumulado do ano com superávit de US$ 37,26 bilhões.

No ambiente político, destaque para o início de leitura do parecer do relator da denúncia da PGR contra o presidente Temer que só começou mais para o final da tarde. Segundo Sérgio Zveiter, seria um relatório político, mas com forte embasamento técnico. No início da leitura, o relator parece concordar com a denúncia acreditando em indícios de prática delituosa e acusação não fantasiosa. O governo por sua vez fez o que era possível trocando membros indecisos ou contra o governo. O estresse continua e isso limitou desempenho dos mercados.

No mercado local, dia de queda de juros dos DIs para os vencimentos mais líquidos (curtos estáveis), enquanto o dólar operou em queda de 0,72%, cotado a R$ 3,26. Na Bovespa, na sessão de 06 de julho, os investidores estrangeiros sacaram R$ 202,0 milhões, deixando o saldo positivo do mês de julho em somente R$ 11,8 milhões. No ano, o saldo líquido está positivo em R$ 4,9 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta nas principais bolsas europeias, com Londres subindo 0,26%, Paris com +0,40% e Frankfurt com +0,46%. Madri e Milão em altas de respectivamente 0,20% e 0,84%. No mercado americano, dia de queda do Dow Jones de 0,02% e Nasdaq com +0,38%. Na Bovespa, conseguimos permanecer acima dos 63000 pontos, com alta de 1,13% e índice em 63025 pontos. Destacamos o comportamento de Vale (+2,18%) e siderúrgicas em função de alta do minério de ferro e também petróleo ajudando na reversão para alta de Petrobras.

Na agenda de amanhã, teremos a primeira prévia do IGP-M de julho, a produção industrial regional e levantamento da produção agrícola de junho. Nos EUA, teremos discursos dos presidentes regionais do FED de Saint Francisco (John Willians) e de Brainard da diretoria.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe Home Broker Modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado


Assuntos desta notícia