Clicky

RTI indica probabilidade de redução da SELIC em 1,0%

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

O dia foi marcado pela reação da Bovespa diante das quedas recentes. Dois motivos principais podem ser elencados: alta do petróleo no mercado internacional e a divulgação do relatório trimestral de inflação (RTI). Desde o início do dia o petróleo WTI negociado em NY já estava em recuperação, abrindo espaço também para recuperação das ações de Petrobras por aqui.

Logo cedo o Bacen divulgou o relatório trimestral reajustando a inflação prevista de 2017 para 3,80% (anterior em 4,0%) e PIB mantido em 0,5%. O RTI versou muito sobre inflação juros estruturais, e acabou colocando de volta no radar dos agentes do mercado a probabilidade de redução da Selic em 1,0%, ao invés do quase consenso de somente 0,75%. Também mostrou dados frágeis como consumo das famílias em zero (anterior +0,5%) e consumo de governo em queda de 0,6% (anterior em +0,2%).

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

O relatório ainda ampliou o superávit da balança comercial de 2017 para US$ 54 bilhões e reduziu o déficit em conta corrente para US$ 24 bilhões (anterior em US$ 30 bilhões). Porém, ampliou as despesas com juros para US$ 22,5 bilhões. Também diagnosticou forte ociosidade da economia e, mas espera retomada gradual. Outro dado ruim do RTI foi a formação bruta de capital fixo que deve encolher ainda mais para -0,6% , vindo de -0,3%.
No âmbito político o STF continuava a julgar se a JBS seguira com o ministro Fachin relator da Lava Jato e sobre homologação de delações. O Placar estava amplamente favorável (6X0) para manter o status quo. O governo também espera que a LDO (diretrizes Orçamentarias) tenham o relatório preliminar votado até 29/06.
Na sequência dos mercados os DIs mais líquidos mostrava queda de juros e o dólar mostrava alta de 0,21% e cotado a R$ 3,34. Na Bovespa, na sessão de 20/06, os investidores estrangeiros alocaram pouco volume de recursos (R$ 8,6 milhões), e o mês de junho segue com saídas de R$ R$ 1,7 bilhões. No ano há alocação líquida de R$ 3,99 bilhões.
No segmento externo, na zona do euro a confiança do consumidor subiu para -1,3 pontos em junho e nos EUA os pedidos de auxílio desemprego da semana anterior expandiram 3000 posições para 241000. O índice de indicadores antecedentes subiu 0,3% em maio e o índice de atividade de Kansas de maio em alta para 11 pontos.
Ainda no mercado externo o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,45%, com o barril cotado a US$ 42,72. O euro era transacionado em queda para US$ 1,115 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 2,15%. O ouro e a prata operaram em alta na Comex e commodities agrícolas em queda na bolsa de Chicago.
No mercado acionário dia de queda da bolsa de Londres de 0,11%, Paris com +0,15% e Frankfurt com alta idêntica de 0,15%. Madri com queda de 0,29% e Milão com -0,67%. No mercado americano dia de queda do Dow Jones de 0,06 % e Nasdaq com +0,04%. Na Bovespa alta de 0,84% e índice em 61272 pontos. Destaque para as valorizações de Petrobras, Vale e siderúrgicas.
Na agenda de amanhã teremos o IPC-S da terceira semana de junho e o IPCA-15 (previa da inflação oficial). Nos EUA o índice de atividade PMI de junho, as vendas de imóveis novos de maio e discursos de dois dirigentes do FED.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe Home Broker Modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado


Assuntos desta notícia