Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Repete texto publicado na noite de terça-feira sem alterações)
SÃO PAULO, 5 Dez (Reuters) – O GPA estima
investir em 2018 o mesmo a ser aplicado em 2017, cerca de 1,3
bilhão de reais, mantendo estratégia de focar abertura de novas
lojas no formato de atacado, cuja bandeira Assaí deverá abrir 20
unidades por ano até 2020, afirmaram executivos da rede de
varejo nesta terça-feira.
"Estamos em momento de calibrar (o investimento) com a
geração de caixa… Estamos pondo dinheiro onde dá mais
retorno", disse o presidente-executivo do GPA, Ronaldo Iabrudi,
a jornalistas. Ele acrescentou que orçamento da companhia para o
próximo ano será aprovado na próxima semana.
O executivo afirmou que a unidade de móveis e
eletrodomésticos Via Varejo seguirá listada como
ativo à venda, mas ponderou que o valor de mercado da unidade
tem crescido nos últimos meses diante de melhora na demanda por
eletrodomésticos apoiada pela deflação de alimentos e
reestruturação promovida pelo grupo.
"Não queremos deixar dinheiro na mesa, o Brasil no ano que
vem vai crescer mais que este ano. A deflação de alimentos
elevou disponibilidade de recursos para outras compras e o mundo
do eletrodoméstico se beneficia disso", disse Iabrudi. "Estamos
com a companhia (Via Varejo) à venda, mas não temos pressa",
acrescentou, evitando comentar se o GPA já recebeu ofertas.
O GPA colocou a Via Varejo como ativo à venda em novembro do
ano passado, mas o vice-presidente de finanças, Christophe
Hidalgo, comentou que não há um limite legal de prazo para
manter a unidade separada do restante do grupo enquanto aguarda
por uma oferta.
"Faz três trimestres que eu respondo a essa pergunta (se a
Via Varejo segue listada como ativo à venda) e continuo
respondendo da mesma forma: o que mais sabemos fazer está no
mundo alimentar, queremos liberar recursos para focar nossa
expansão no alimentar", disse Iabrudi.
Por conta até do crescimento da economia e da abertura de
novas lojas Assaí, o GPA espera resultados melhores que os deste
ano em 2018, mas Iabrudi e o vice-presidente de finanças,
Christophe Hidalgo, evitaram dar projeções precisas. "Ano
eleitoral normalmente tem mais dinheiro na praça, mas vai ter
muita volatilidade."
Entre outubro e novembro, o GPA abriu nove lojas Assaí no
país, quase metade da meta de novos pontos da bandeira previstos
para este ano.
Na avaliação de Iabrudi, a deflação de alimentos deve
retroceder no próximo ano, mas o desempenho no primeiro
trimestre "ainda vai sofrer um pouco… A safra vai crescer
menos, mas ainda vai ser um crescimento importante", disse o
executivo.
Nos planos da companhia para o próximo ano estão crescimento
de vendas do Assaí acima da inflação de alimentos e a área de
multivarejo, que reúne super e hipermercados, apresentando
vendas em linha com os preços dos alimentos.
O GPA também espera obter 75 milhões de dólares em sinergias
com negócios latino-americanos do grupo Casino , seu
controlador. Iabrudi explicou que o GPA trabalha em pelo menos
16 projetos conjuntos com a rede Éxito que incluem marcas
próprias, compras conjuntas junto a fornecedores e tecnologia.
Sobre os efeitos da reforma trabalhista, Iabrudi afirmou que
o GPA avalia adotar o regime de 12 horas de trabalho e 36 horas
de descanso a partir de 2018, avaliando que o esquema faz mais
sentido aos funcionários do grupo, que somam cerca de 90 mil no
país.
"Nossos colaboradores recebem 1.200, 1.800 reais (por mês) e
no esquema atual eles têm que vir ao trabalho 21 vezes e no
esquema de 12 por 36 eles viriam 15 vezes, faz mais sentido
considerando os custos de deslocamento que eles têm", disse o
executivo.
"O ideal seria adotar isso na empresa toda, mas estamos
avaliando pilotos", acrescentou, afirmando ainda que a opção de
trabalho intermitente faria sentido em épocas promocionais como
a Black Friday.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição Maria Pia Palermo)
(([email protected]; 5511-5644-7753; Reuters
Messaging: [email protected]))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation