Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Repete texto publicado na noite de terça-feira)
BRASÍLIA, 28 Nov (Reuters) – A Câmara aprovou nesta
terça-feira o texto principal do projeto que cria a Política
Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio).
Em votação simbólica, os deputados aprovaram o texto
considerado estratégico para a retomada dos investimentos na
indústria de biocombustíveis. O plenário ainda deve analisar
emendas que podem alterar o mérito da proposta.
Para entidades do setor, caso da a União da Indústria de
Cana-de-açúcar (Unica), o projeto permite essa retomada sem a
dependência de subsídios do governo ou de renúncia fiscal, além
de ajudar o país a cumprir suas metas de "descarbonização"
assumidas no Acordo de Paris, principalmente para a redução da
emissão de gases de efeito estufa no transporte veicular.
A proposta prevê metas de uso de biocombustíveis e
negociações de créditos de descarbonização (CBios), semelhante
ao modelo utilizado nos Estados Unidos.
Para a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene
(Ubrabio), ao contrário de outros países, onde a
"descarbonização" da economia é um desafio, no Brasil, é uma
oportunidade.
Ao apresentar seu parecer em plenário pouco antes da
votação, o relator da proposta, deputado João Fernando Coutinho
(PSB-PE), decidiu modificar o texto original e retirou trecho
que definia metas anuais compulsórias para a adição de biodiesel
ao óleo diesel e de etanol à gasolina, segundo a Agência Câmara.

Coutinho também reduziu a multa máxima a ser emitida no caso
de descumprimento de metas individualizadas de 500 milhões de
reais para 50 milhões, além de remeter a definição dos títulos
representativos de créditos de descabornização a um regulamento,
informou a agência.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Por Maria Carolina Marcello; Edição de Alexandre Caverni)
(([email protected]; 55-11-56447702; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia