Clicky

Profitchart Pro 728×90

LONDRES, 13 Out (Reuters) – Um aumento nas sanções dos
Estados Unidos contra Teerã pode gerar um temor adicional em
potenciais compradores de petróleo do Irã, embora a oferta para
a Europa deva provavelmente permanecer ininterrupta, disseram as
principais tradings da commodity no Reuters Global Commodities
Summit nesta semana.
O presidente dos EUA, Donald Trump, deu um grande passo
contra o acordo nuclear do Irã nesta sexta-feira, ao dizer que
não irá certificar o cumprimento do pacto pelos iranianos.

A decisão não significa um abandono do acordo pelos EUA, mas
Trump chegou a dizer que os EUA podem encerrar o pacto com o
país imediatamente se os iranianos não tomarem ações imediatas.

Profitchart Pro 300×250

Qualquer grande aumento nas sanções deixará o mercado de
petróleo em situação similar à vista no início da década, quando
Washington adotou uma posição dura contra o Irã, enquanto a
União Europeia ainda permitia o comércio com Teerã até 2012,
quando reforçou sanções contra o país.
A UE aliviou as sanções no ano passado como parte de um
acordo nuclear mais amplo, preparando o caminho para Teerã
aumentar o comércio de petróleo e atrair bilhões de dólares em
investimentos.
"Se os EUA desfizerem o acordo nuclear e elevarem a tensão,
então, inevitavelmente, algumas pessoas dirão, bem, talvez seja
um negócio no qual eu não devo me envolver", disse o chefe de
petróleo global da Glencore , Alex Barba.
A Glencore retomou os negócios com o Irã no ano passado,
assim como a Vitol.
O presidente executivo da Vitol, Ian Taylor, disse que
espera que as transações com o Irã se tornem mais complicadas.
"Se Trump decidir não certificar (o cumprimento do acordo
pelo Irã)… terá algum impacto, mas não acho que os europeus
irão segui-lo, provavelmente o impacto será limitado", afirmou.

(Por Dmitry Zhdannikov and Julia Payne)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7509))
REUTERS TF LC


Assuntos desta notícia

Join the Conversation