Clicky

MetaTrader 728×90

Por Elizabeth Piper e Alastair Macdonald
LONDRES/BRUXELAS, 9 Out (Reuters) – O Reino Unido e seus
parceiros de União Europeia entraram em choque nesta
segunda-feira a respeito de qual lado deve dar o próximo passo
para destravar as conversas sobre a saída britânica do bloco,
conhecida como Brexit, apesar dos temores de perderem o prazo
para o acordo de separação e de Londres estar rumando para um
rompimento caótico.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, deixará claro,
em um discurso que deve fazer ao Parlamento, que espera que seus
parceiros de bloco façam propostas em uma nova rodada de
conversas que abrirão caminho para a próxima fase das
negociações, dizendo que "a bola está no campo deles".
Mas mesmo antes do discurso uma porta-voz da UE reagiu em
Bruxelas, dizendo que "a bola está totalmente no campo do Reino
Unido para que o resto aconteça".
May está desesperada para recuperar algo de sua autoridade e
voltar a atenção para as conversas que desfarão mais de 40 anos
de união após um discurso na conferência de seu partido na
semana passada no qual uma tosse repetitiva, uma pegadinha de um
comediante e um problema técnico no palco a deixaram mais frágil
do que nunca.
Até agora ela conteve as tentativas de deposição de críticos
já revoltados com a convocação mal calculada de uma eleição na
qual o governista Partido Conservador perdeu a maioria que tinha
no Parlamento, mas a fragilidade da premiê abriu a porta para
muitos de seus próprios correligionários questionarem sua
estratégia para o Brexit apenas 18 meses após a decisão
britânica de sair da UE.
Como Bruxelas está se preparando discretamente para um
colapso nas conversas e o Reino Unido se apronta para o que May
classificou como "todas as eventualidades", algumas autoridades
e líderes empresariais temem que o país deixe o bloco sem um
acordo.
Quando falar ao Parlamento mais tarde nesta segunda-feira,
May dirá estar determinada a garantir uma nova parceria com os
outros 27 membros do rico bloco político e comercial.
"Obter esta parceria exigirá liderança e flexibilidade, não
só nossa, mas de nossos amigos, as 27 nações da UE", dirá ela,
de acordo com trechos de seu discurso.
Mas a UE foi clara: "Existe uma sequência clara para estas
conversas, e até agora não se encontrou solução para o primeiro
passo, que são os procedimentos de divórcio", disse a porta-voz
da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, em um boletim à
imprensa.
(Reportagem adicional de Lily Cusack, em Bruxelas, e William
James, em Londres)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF ES


Assuntos desta notícia