Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

SÃO PAULO, 10 Nov (Reuters) – A Prumo Logística
recebeu um prazo extra até 24 de novembro para apresentar à
Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) comprovantes de que
resolveu pendências relacionadas ao projeto da termelétrica Novo
Tempo, que a empresa adquiriu recentemente junto à Bolognesi e
precisa estar em operação em 2020.
De acordo com despacho da agência no Diário Oficial da União
desta sexta-feira, a empresa terá até 24 de novembro para
celebrar contratos de suprimento de gás, obter licenças devidas
e fechar contratos de fornecimento e serviços para a usina.
A empresa responsável pelo projeto também deverá se
responsabilizar, "inclusive financeiramente", pela realização de
melhorias necessárias para o acesso da termelétrica ao sistema
elétrico do país.
A companhia ainda deverá arcar com "custos de ressarcimento
ao consumidor relativos a eventual falha no atendimento ao
contrato devido a restrições de escoamento de energia para o
sistema", segundo o despacho do órgão regulador.
Antes de vender o empreendimento, a Bolognesi avaliava que a
termelétrica Novo tempo, com 1,2 gigawatt em capacidade, deveria
receber investimentos de 3 bilhões de reais. A usina será
implementada pela Prumo no Porto do Açu, no Estado do Rio de
janeiro, e a empresa prevê iniciar obras em 2018.

(Por Luciano Costa; Edição de José Roberto Gomes)
(([email protected]; 5511 5644 7519;
Reuters Messaging: [email protected]
– Twitter: @AnaliseEnergia))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation