Clicky

MetaTrader 728×90

PEQUIM, 9 Jan (Reuters) – Ventos fortes, ondas altas e gases
tóxicos criaram dificuldades para dezenas de barcos de resgate
que lutam para localizar marinheiros desaparecidos de um
petroleiro em chamas no Mar do Leste da China nesta terça-feira,
o terceiro dia de um incêndio de grandes proporções na
embarcação.
As condições ruins, com ventos fortes, chuva e ondas de até
3 metros, frustraram esforços para controlar o fogo e buscar os
31 tripulantes restantes do petroleiro, informou nesta
terça-feira o Ministério dos Transportes chinês em comunicado.
As chamas forçavam uma equipe de busca e resgate da Guarda
Costeira da Coreia do Sul a manter até 4,8 quilômetros de
distância do petroleiro, disseram à Reuters duas autoridades
sul-coreanas.
O corpo de um tripulante foi encontrado na segunda-feira em
águas próximas ao petroleiro, informou o Ministério dos
Transportes da China.
Há preocupações crescentes de que o petroleiro possa
explodir e afundar, enquanto uma frota de 13 navios de busca e
resgate cobre uma área de 3.100 quilômetros quadrados em volta
do petroleiro em busca pela tripulação.
O petroleiro bateu um navio de carga na noite de sábado no
Mar do Leste da China e pegou fogo, e desde então tem derramado
petróleo no mar.
O petroleiro Sanchi, administrado pela principal operadora
de exportação de petróleo do Irã, a National Iranian Tanker Co,
colidiu com o CF Crystal, que levava grãos dos Estados Unidos, a
cerca de 300 quilômetros da costa chinesa, próximo a Xangai e da
boca do delta do rio Yangtzé.
O Sanchi levava 136 mil toneladas de condensado, um petróleo
ultraleve que se torna extremamente volátil quando exposto ao ar
e água, para a Coreia do Sul.
(Reportagem de Josephine Mason, Jane Chung e Yuna Park)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia