Clicky

MetaTrader 728×90

Por Sethuraman N R
30 Abr (Reuters) – O forte cumprimento pela Organização dos
Países Exportadores de Petróleo (Opep) de seu acordo para cortes
de oferta, a demanda robusta e interrupções do fornecimento no
Oriente Médio devem elevar o preço médio do petróleo neste ano
para mais de 67 dólares o barril, mostrou uma pesquisa da
Reuters nesta segunda-feira.
A pesquisa com 38 economistas e analistas prevê que o Brent
alcance uma média de 67,40 dólares em 2018, mais de 5
por cento superior aos 63,97 dólares projetados na pesquisa do
mês anterior. É também a maior previsão média para o preço do
Brent em 2018 desde pelo menos dezembro de 2015.
Analistas de petróleo consultados pela Reuters aumentaram
suas previsões de preços em todos os meses desde agosto do ano
passado.
"Com a situação do mercado mais apertada, a posição da Opep
sobre os cortes de produção é um fator importante para os preços
seguirem subindo. Além disso, a demanda por petróleo deve
continuar saudável em 2018 e 2019, com o crescimento do PIB
acima do esperado", disse Rahul Prithiani, diretor na empresa de
pesquisas Crisil.
"Uma forte adesão (aos cortes na produção) é esperada em
geral durante o ano… O crescimento do PIB mundial deve subir
para 3,9 por cento neste ano e em 2019. Como resultado, o
crescimento da demanda por petróleo também deverá permanecer
robusto nos próximos dois anos."
Liderada pela Arábia Saudita, a Opep e produtores aliados
reduziram a produção desde 2017 para enfrentar um excesso de
oferta global que deprimiu os preços do petróleo entre 2014 e
2016.
Como resultado de um mercado cada vez mais restritivo, o
Brent e o WTI dos EUA atingiram o maior nível desde novembro de
2014 em abril, a 75,47 dólares e 69,56 dólares por barril,
respectivamente.
Os preços do Brent subiram quase 11 por cento até agora
neste ano, enquanto os preços do WTI subiram 12,6 por cento.
Analistas projetaram o WTI em uma média de 63,23
dólares o barril neste ano, contra 59,85 dólares na pesquisa de
março.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS JRG LC


Assuntos desta notícia