Clicky

MetaTrader 728×90

Os países-membros do G7, que reúne as sete economias mais industrializadas do mundo, asseguraram nesta sexta-feira que estão “prontos para usar os instrumentos de liquidez estabelecidos” para fazer frente aos efeitos adversos nos mercados da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia no referendo realizado ontem.

“Os bancos centrais do G7 deram os passos para garantir a liquidez adequada e apoiar o funcionamento dos mercados”, explicaram em comunicado os ministros de Finanças e governadores de bancos centrais do grupo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

Profitchart Pro 300×250

“Reconhecemos que a excessiva volatilidade e os movimentos desordenados nos tipos de mudanças podem ter implicações adversas para a estabilidade econômica e financeira”, diz a nota, emitida após a vitória do “brexit” no referendo britânico.

Os países-membros do G7 manifestaram seu “respeito” pela vontade expressada nas urnas pelos britânicos de sair da UE e que mostraram uma divisão entre os eleitores de Inglaterra e Gales, que apoiaram majoritariamente o “brexit”, e a postura dos de Escócia e Irlanda do Norte, que querem permanecer na União Europeia.

“Estamos monitorando o desempenho dos mercados após o resultado do referendo sobre a continuação do Reino Unido na UE”, diz o comunicado, que foi emitido pouco antes da abertura dos mercados nos Estados Unidos.

O G7 revelou confiança de que “as autoridades britânicas estão bem posicionadas para fazer frente às consequências do referendo” e assegurou que a economia e o setor financeiro do Reino Unido “se mantêm resistentes”.

“Seguimos unidos e continuaremos mantendo nossa solidariedade como G7”, acrescentaram os países-membros do grupo no comunicado, após o histórico referendo, que pode ter várias ramificações e consequências econômicas e políticas no mundo todo.

Com Ag. EFE


Assuntos desta notícia