Clicky

MetaTrader 728×90

Por Gram Slattery
RIO DE JANEIRO, 23 Nov (Reuters) – O conselho de
administração da Oi está tentando conseguir apoio dos
credores estatais da operadora para seu plano de recuperação
judicial, apesar de oposição de credores privados detentores de
bônus da companhia, afirmaram três fontes com conhecimento da
estratégia do grupo à Reuters.
Sob a liderança do empresário Nelson Tanure, o conselho da
Oi está oferecendo aos bancos estatais Caixa Econômica
Federal CEF.UL e Banco do Brasil BBAS3.SA acordos para que as
dívidas da empresa detidas por eles sejam pagas sem descontos,
mas com prazo mais longo, disseram as fontes.
A proposta do conselho da Oi prevê que a empresa terá um
período de carência de seis anos antes de fazer os pagamentos e
depois mais 10 anos para quitar a dívida detida pelos bancos.
Para melhorar a oferta, o conselho recentemente concordou em
pagar uma fração dos juros anualmente durante o período inicial
de seis anos, disse a uma das fontes.
O conselho da Oi também está oferecendo ao Itaú BBA, divisão
do Itaú Unibanco ITUB4.SA , o pagamento da dívida detida pelo
banco sem descontos, com propostas similares para agências de
crédito à exportação da Finlândia, Bélgica e China.
Juntos, esses grupos detêm 11 bilhões de reais em dívida da
Oi, que pediu recuperação judicial em junho do ano passado
listando dívida total de 65 bilhões de reais.
Oi, Banco do Brasil, Itaú Unibanco e FTI Consulting, que
representa as agências de crédito para exportação, não
comentaram o assunto. A Caixa não respondeu a pedidos de
comentários.
((Edição Redação São Paulo, 55 11 56447753))
REUTERS AAJ


Assuntos desta notícia