Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Stefani Inouye
SÃO PAULO, 1 Jun (Reuters) – Veja como fecharam nesta
sexta-feira os mercados financeiros de Brasil, Estados Unidos e
Europa, além das movimentações nas cotações de petróleo, soja e
açúcar.

BOVESPA- O principal índice de ações da B3 fechou em alta,
apesar da forte queda das ações da Petrobras, após a renúncia de
Pedro Parente como presidente da estatal.
O Ibovespa subiu 0,63 por cento, a 77.239 pontos,
após subir 1,84 na máxima da sessão e cair 1,6 por cento na
mínima. O volume financeiro somou 14,95 bilhões de reais.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

CÂMBIO- O dólar terminou no maior nível de fechamento desde
março de 2016, com a demissão de Pedro Parente da presidência da
Petrobras impondo desconfiança aos investidores sobre a condução
da economia brasileira.
O dólar avançou 0,8 por cento, a 3,7667 reais na
venda, maior nível desde os 3,7937 reais de 7 de março de 2016.
Na semana, a moeda subiu 2,68 por cento. O dólar futuro DOLc1
avançava 1,04 por cento.

JURO- As taxas dos contratos futuros de juros de curto e
médio prazos encerraram em baixa, marcados por um movimento de
correção, enquanto os DIs com prazos mais longos subiram após o
pedido de demissão do presidente da Petrobras Pedro Parente ter
trazido uma leitura pessimista para os investidores.

BOLSA EUA-Os mercados acionários dos Estados Unidos
avançaram após o último relatório mensal de emprego indicar o
fortalecimento da economia norte-americana e as tensões
geopolíticas diminuíram.
O índice Dow Jones subiu 0,9 por cento, a 24.635
pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 1,08 por cento, a 2.735
pontos. O Nasdaq avançou 1,51 por cento, a 7.554 pontos.

BOLSA EUROPA- Os mercados acionários europeus avançaram, com
as ações da Itália liderando após um acordo de coalizão, que
pareceu encerrar três meses de impasse político.
O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,31 por cento, a
7.701 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600
ganhou 1,01 por cento, a 386,91 pontos.
O índice italiano subiu 1,49 por cento impulsionado
pelo setor bancário , com BPM , BPER
, UBI e Intesa Sanpaolo avançando.

COMMODITIES
PETRÓLEO- Os preços do petróleo recuaram, depois que o dólar
subiu por dados de emprego nos Estados Unidos melhores do que o
esperado, o que pressionou as commodities denominadas na moeda
norte-americana, incluindo o petróleo bruto.
Os futuros do petróleo dos EUA (WIT) caíram 1,23
dólar por barril, para fechar a 65,81 dólares o barril. Na
semana, o WTI caiu cerca de 3 por cento, aumentando a perda da
semana anterior, de quase 5 por cento.

SOJA , MILHO , TRIGO
Os contratos futuros da soja na Bolsa de Chicago fecharam em
leve alta, apoiados por compras técnicas após uma sessão
volátil, disseram operadores, enquanto o trigo e o milho
fecharam em baixa por vendas técnicas, entre outros fatores.
Os contratos de julho da soja subiram 0,3 por cento, a
10,2125 dólares por bushel, dentro da faixa de negociação do dia
anterior. Na semana, o contrato caiu 1,9 por cento.

AÇÚCAR , CAFÉ
Os contratos futuros de açúcar bruto e café arábica na ICE
fecharam em queda após tocarem máximas de vários meses, com
operações no maior produtor, o Brasil, voltando à normalidade
após perturbações causadas por protestos de caminhoneiros.
O contrato de julho do açúcar bruto caiu 2,1 por
cento, para 12,52 centavos de dólar por libra-peso, após subir
para 12,97 centavos, o maior valor para um primeiro contrato
desde 9 março. Na semana, o contrato avançou 0,5 por cento.

(Stéfani Inouye; edição de Aluísio Alves)
(([email protected]; 551156447509; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia