Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

BEIRUTE, 14 Mar (Reuters) – O Irã minimizou o possível
impacto em seu acordo nuclear de 2015 com potências mundiais
após a nomeação do combativo Mike Pompeo como novo secretário de
Estado norte-americano, dizendo que a mudança é uma questão
interna dos Estados Unidos.
“Estas mudanças e desenvolvimentos e demissões no governo
Trump não são novidade”, disse o porta-voz do Ministério das
Relações Exteriores do Irã, Bahram Qassemi, quando questionado
em entrevista coletiva sobre o impacto da nomeação de Pompeo no
acordo nuclear, de acordo com a mídia estatal.
“Nós testemunhamos desenvolvimentos similares e esta é
questão interna deles”, disse. “O que é importante para a
República Islâmica é a política da América em questões globais e
a interação dela conosco e nós iremos adotar nossas próprias
posições”.
Pompeo expressou pontos de vista mais hostis sobre o Irã e o
acordo nuclear, que suspendeu uma série de sanções sobre a
República Islâmica em troca de contenções em seu programa
nuclear, do que o secretário de Estado demitido Rex Tillerson.
O acordo nuclear foi assinado pelo governo do antecessor de
Trump, Barack Obama, assim como por Reino Unido, China, França,
Alemanha e Rússia. Trump, que há tempos tem criticado o acordo
nuclear, destacou-o na terça-feira como uma das principais áreas
em que divergia de Tillerson.
Trump deu um ultimato a potências europeias em 12 de
janeiro, dizendo que elas precisam concordar em “consertar as
terríveis falhas do acordo nuclear do Irã” ou ele irá se recusar
a estender alívio de sanções norte-americanas sobre o Irã.
(Reportagem de Babak Dehghanpisheh)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia