Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Alissa de Carbonnel
TEERÃ, 19 Mai (Reuters) – O ministro do Petróleo do Irã,
Bijan Zanganeh, disse neste sábado que a decisão do presidente
dos Estados Unidos, Donald Trump, de se retirar do acordo
nuclear multilateral não afetará as exportações de petróleo de
Teerã se a União Europeia salvar o trato.
“Toda nova decisão da Opep (Organização dos Países
Produtores de Petróleo) precisa ser unânime. Eu acredito que, se
a União Europeia nos ajudar, o nível de exportação de petróleo
do Irã não mudará”, afirmou Zanganeh a repórteres após um
encontro com o chefe de energia da UE, Miguel Arias Cañete.
Após a decisão de Trump em 8 de maio, o Tesouro dos EUA
disse que Washington retomaria as sanções ao Irã após o fim do
período de carência, incluindo punições ao setor de petróleo e
transações com o banco central do país.
A UE pretende salvar o acordo nuclear fechado em 2015, que
oferece à república islâmica um alívio nas sanções econômicas em
troca de cortes no programa nuclear do país. A Europa vê no
acordo um importante elemento de segurança internacional.
Durante a última rodada de sanções, as vendas de petróleo do
Irã caíram em cerca de um milhão de barris por dia, mas a nação
voltou a ser uma grande exportadora após a queda das sanções, em
2016.
Contudo, importantes empresas europeias permaneceram
relutantes em fazer negócios com o país, que precisa atrair
cerca de 100 bilhões de dólares em investimentos estrangeiros
para impulsionar a produção de petróleo.
“Não tenho dúvidas de que essas sanções extraterritoriais
dos EUA contra o Irã terão impacto no investimento (externo)”,
disse Zanganeh. “Não vai parar, mas vai reduzir a taxa de
crescimento.”
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))
REUTERS CMO


Assuntos desta notícia