Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

BRUXELAS, 3 Mai (Reuters) – A inflação na zona do euro
desacelerou inesperadamente em abril uma vez que os preços de
serviços subiram a um ritmo mais lento, mostraram dados
divulgados nesta quinta-feira, levantando questões sobre o plano
do Banco Central Europeu (BCE) de retirar gradualmente o
estímulo monetário.
A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat,
estimou que a inflação nos 19 países que usam o euro ficou em
1,2 por cento em abril sobre o ano anterior.
Economistas consultados pela Reuters esperavam uma taxa de
1,3 por cento, repetindo a leitura de março.
Mesmo com a inflação abaixo da meta do BCE de perto de 2 por
cento, as autoridades do banco central têm debatido se encerram
o esquema de compra de ativos de 2,55 trilhões de euros.
Uma decisão sobre ações futuras deve ser comunicada em junho
ou julho.
Os preços de alimentos, álcool e tabaco, de energia e bens
industriais excluindo energia subiram a um ritmo mais rápido do
que em março na base anual.
Entretanto, os preços de serviços avançaram apenas 1 por
cento, contra 1,5 por cento em março.
O núcleo da inflação, que o BCE também olha como guia,
também ficou abaixo das expectativas. A medida que exclui os
preços voláteis de energia e alimentos não processados subiu 1,1
por cento em abril sobre o ano anterior, contra 1,3 por cento em
março e expectativa de 1,2 por cento.
(Reportagem de Philip Blenkinsop)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))
REUTERS CMO


Assuntos desta notícia