Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Stella Qiu e Kevin Yao
PEQUIM, 10 Mai (Reuters) – A inflação ao produtor na China
acelerou pela primeira vez em sete meses em abril, impulsionada
pela alta dos preços das commodities e sugerindo que a demanda
industrial permanece resiliente mesmo diante das tensões
comerciais com os Estados Unidos.
Mas a inflação ao consumidor desacelerou em relação ao mês
anterior com os preços dos alimentos subindo a um ritmo mais
lento, de acordo com dados oficiais divulgados nesta
quinta-feira.
Analistas e investidores observam atentamente a inflação na
China em busca de sinais de uma desaceleração econômica que
possa pesar sobre o crescimento do lucro e do investimento
industrial e indique uma mudança na política monetária do banco
central.
Mas os mercados futuros de commodities do país são
conhecidos por serem especulativos, o que torna difícil dizer se
as variações nos preços ao produtor indicam mudança real na
demanda.
O índice de preços ao produtor avançou 3,4 por cento em
abril sobre o ano anterior, acelerando ante a mínima de 17 meses
de 3,1 por cento em março, informou a Agência Nacional de
Estatísticas. Na comparação mensal, o índice recuou 0,2 por
cento.
Analistas consultados pela Reuters projetavam alta de 3,5
por cento, uma vez que as siderúrgicas estocaram matéria-prima
como minério de ferro para atender à alta sazonal na construção.
Já o índice de preços ao consumidor avançou 1,8 por cento
sobre o ano anterior, pouco abaixo da expectativa e ante 2,1 por
cento em março. Sobre o mês anterior, o índice caiu 0,2 por
cento.
O núcleo dos preços ao consumidor, que elimina os preços
voláteis de alimentos e energia, avançou 2 por cento em abril,
inalterado ante março.
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))
REUTERS CMO


Assuntos desta notícia

Join the Conversation