Clicky

MetaTrader 728×90

Por Slamet Kurniawan
DENPASAR, Indonésia, 29 Nov (Reuters) – O aeroporto de Bali
reabriu nesta quarta-feira, disseram autoridades da Indonésia,
dois dias depois de uma erupção vulcânica espalhar cinzas pela
ilha turística e forçar o fechamento do aeroporto, impedindo a
movimentação de turistas e desencadeando ações de retirada.
"O aeroporto internacional de Bali começou a operar
normalmente", disse a operadora de controle de tráfego aéreo
AirNav em um comunicado, acrescentando que as operações foram
retomadas às 14h28 locais.
A reabertura ocorreu depois que as autoridades de aviação
rebaixaram o alerta para "laranja", um nível abaixo do mais
perigoso.
A decisão de retomar as atividades veio na esteira de uma
reunião de emergência no aeroporto que levou em conta as
condições climáticas, testes e dados da AirNav e outros grupos,
informou a operadora.
A Singapore Airlines disse que retomará os voos entre
Cingapura e Bali nesta quarta-feira, e a australiana Qantas
Airways disse que a empresa e sua parceira de voos econômicos
Jetstar farão 16 voos para a Austrália na quinta-feira para
levar para casa 3.800 clientes retidos em solo indonésio.
Uma grande coluna de cinzas e fumaça branca e cinza pairava
sobre o monte Agung nesta quarta-feira, e uma chuva ocorrida na
noite anterior obscureceu parcialmente o brilho intenso visto em
seu pico nos últimos dias.
O presidente Joko Widodo implorou aos moradores de uma zona
nos arredores do Agung considerada em risco que busquem refúgio
em centros de emergência.
O Agung se ergue majestosamente a 3 mil metros de altura
sobre o leste de Bali. Sua última erupção ocorreu em 1963, matou
mais de mil pessoas e devastou vários vilarejos.
Camadas de cinzas cobriram carros, telhados e ruas em uma
área ao sudeste da cratera, e crianças usaram máscaras para
caminhar até as escolas.
As autoridades aconselharam aqueles que moram em um raio de
8 a 10 quilômetros ao redor do vulcão a seguirem para centros de
emergência, alertando que uma erupção maior pode ser "iminente".
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759))
REUTERS ES


Assuntos desta notícia