Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais nesta quinta-feira (18). O destaque fica para a bolsa de valores de São Paulo em “circuit break” em queda de 10,47%.

CENÁRIO EXTERNO

MetaTrader 300×250

ÁSIA – O índice MSCI Asia Pacific caiu 0,87% em Hong Kong. O Xangai ficou em queda de 0,46% aos 3.104. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em queda de 0,62% aos 25.293. Na Índia, o índice Sensex, bolsa de Bombai, ficou em alta de 0,73% aos 30.434. O Nikkei 225, bolsa do Japão, ficou em queda de 1,32% aos 19.553 pontos. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em queda de 0,27% aos 2.286 pontos. O índice FTSE ST, Singapura, ficou em queda de 0,08% aos 3.221. As bolsas de valores da Ásia recuaram forte nesta quinta-feira, refletindo as perdas ocorridas nas bolsas de Nova York. Em Tóquio, o índice Nikkei caiu 1,32%, frente aos temores decorrentes dos temores de que o presidente dos Estados Unidos Donald Trump terá dificuldades de aprovar reformas importantes no Congresso devido às questões políticas.

EUROPA – O índice Stoxx Europe 600 estava em queda de 0,89% aos 387.65, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) estava em queda de 1,50% aos 20.965; o Ibex 35 (Madri) estava em queda de 1,76% aos 10.597; o DAX 30 (Frankfurt) estava em queda de 0,77% aos 12.534; o FTSE-100 (Londres) estava em queda de 1,25% aos 7.409; o CAC 40 estava em queda de 107% aos 5.261 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) estava em queda de 1,41% aos 5.045. Na Europa, o mau humor prevalece com os investidores olhando para o desenrolar das questões políticas nos Estados Unidos. O índice de ações STOXX600 segue em queda. O euro é cotado a US$ 1,1119 recuando frente à cotação de 1,1157 de ontem à tarde.

ESTADOS UNIDOS- O S&P seguia em queda de 0,32% aos 2.352 o Dow Jones (futuros) estava em queda de 0,39% aos 20.524; e o Nasdaq (futuros) seguia em queda de 0,07% aos 5.574. Os mercados estão reagindo às questões dos Estados Unidos envolvendo a tentativa do presidente de impedir a investigação do FBI nas possíveis trocas de informações com diplomatas russos por um ex-integrante do governo. Ainda que não se acredite que esse imbróglio avance para um impeachment do presidente, fica comprometida a agenda econômica proposta pelo novo governo, responsável pelo rali nos preços dos ativos após as eleições. Os investidores demandam mais Treasuries, iene e ouro, em busca de segurança. O juro pago pelo T-Bond de 10 anos encontra-se em 2,183% ao ano, contra 2,218% de ontem à tarde. O dólar recua frente às principais moedas, com o índice DXY caindo para 97,658 pontos, o mais baixo desde novembro passado.

Commodities

O contrato futuro para entrega em junho do petróleo tipo WTI é negociado a US$ 48,62 o barril, com queda de 0,92%.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 0,96% a US$61,60 a tonelada seca e com 62% de pureza.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL- Na B3, o Índice Bovespa parou “circuit break”, com os papéis de peso em queda de mais de 10%, como Banco do Brasil e Petrobras, com o cenário político mergulhando o País em nova e profunda crise. Independentemente de se comprovar ou não a denúncia de que o presidente Michel Temer teria dado aval para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, preso no âmbito da Lava Jato, fica seriamente comprometido o cronograma de tramitação das reformas, tanto trabalhista, mas principalmente, da Previdência. As dúvidas quanto à essa questão deve levar a uma reformulação nas estratégias dos mercados, com forte impacto nos preços do dólar, juros e bolsas.

AGENDA – Quinta-feira

No Brasil foi apresentado o IPC-FIPE e o IGP-M. Nos Estados Unidos, os Pedidos de Auxílio-Desemprego, o Relatório do Fed da Philadelphia e o Indicador Antecedente.


Assuntos desta notícia