Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta quinta -feira (06).

CENÁRIO EXTERNO

MetaTrader 300×250

ÁSIA- Ao final da jornada, o índice MSCI Asian Pacific fechou em alta de 0,7% aos 152,81, em Hong Kong. O índice Asia Dow caiu 0,17% para 3.339. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em queda de 0,49% aos 25.340. O Xangai Composite ficou em alta de 0,17% aos 3.217. O Nikkei 225, bolsa do Japão, ficou em queda de 0,32% aos 19.929 pontos. O índice Kospi, Coreia do Sul, fechou em queda de 0,33% aos 2.379 pontos. O índice Sensex, bolsa da Índia, fechou em alta de 0,08% aos 31.369. O índice FTSE Straits Times de Singapura fechou em queda de 0,69% aos 3.229. Na Ásia, principais mercados acionários encerraram o pregão em queda, pressionados pelas perdas da véspera nas praças europeias e em Nova York. Pesa sobre os investidores a visão de que os principais bancos centrais do mundo se preparam para o momento em que começarão a reduzir as políticas de estímulos monetários. O dólar subiu para 113,73 ienes, de 113,19 ienes de ontem à tarde.

EUROPA – O índice Stoxx Europe 600 segue em queda de 0,19% aos 379.71, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) estava em queda de 0,33% aos 21.014; o Ibex 35 (Madri) estava em queda de 0,18% aos 10.479; o DAX 30 (Frankfurt) estava em queda de 0,20% aos 12.356; o FTSE-100 (Londres) estava em alta de 0,14% aos 7.347; o CAC 40 (Paris) estava em queda de 0,22% aos 5.140 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) estava em queda de 0,62% aos 5.137. As bolsas operam sem direção, com o índice principal recuando. O euro recua levemente para US$ 1,1413 de US$ 1,1422 no fim da tarde de ontem. Sustenta a moeda comum a percepção de que o Banco Central Europeu (BCE) estuda a redução da política de estímulos monetários, podendo ser implementada o mais tardar no início de 2018.

ESTADOS UNIDOS- O S&P opera em alta de 0,30% aos 2.416; o Dow Jones opera em alta de 0,26% aos 21.373; e o Nasdaq (futuros) está em alta de 0,47% aos 6.117. Os investidores estão partindo para as compras, nesta manhã, com certa cautela, enquanto aguardam os dados sobre o mercado de trabalho nos EUA, para medir o grau de dinamismo da maior economia do mundo e avaliar a intensidade do aperto monetário conduzido pelo banco central americano. O dólar se enfraquece em relação às principais moedas, tendo como referência o índice DXY que fecha a semana em seu menor nível. Os juros dos T-Bonds permanecem em alta, situando-se em 2,380% ao ano, de 2,363% no final da tarde de ontem em Nova York. O futuro do índice de ações S&P 500 flutua em torno da estabilidade.

Commodities

O preço do petróleo WTI para agosto estava em queda de 1,80%, a US$ 44,70 o barril na Bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 1,36% a US$62,80 a tonelada seca e com 62% de pureza.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL- Na B3, o Ibovespa abriu em alta, com atenção para o mercado doméstico de juros futuros e de câmbio no aguardo do relatório de emprego dos Estados Unidos para definir uma tendência para hoje. O IBGE divulgou o IPCA de junho, com deflação de 0,23% no mês. A boa notícia vem na contramão do nível de desemprego no País, mas foi um sinal de ligeira recuperação e queda, principalmente, nas tarifas de energia elétrica.

AGENDA – Sexta-feira

Na Alemanha serão apresentadas a Produção Industrial. Nos Estados Unidos, as Folhas de Pagamento do setor privado (Payroll), Taxa de Desemprego. No Brasil, o IGP-DI e o IPCA.


Assuntos desta notícia