Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Rajendra Jadhav e Hallie Gu
MUMBAI/PEQUIM, 13 Jun (Reuters) – Exportadores de algodão
indianos assinaram contratos para enviar 500 mil fardos (85 mil
toneladas) da nova safra para a China, à medida em que o maior
consumidor mundial da fibra pretende aumentar suas importações
no próximo ano-safra, disseram autoridades do setor à Reuters.
Exportadores na Índia, maior produtor mundial de algodão,
geralmente começam a vender a nova safra no fim de agosto,
depois de estimarem o tamanho da produção do país. Porém, a
forte demanda da China e os preços mais altos levaram os
exportadores indianos a assinarem acordos adiantados, disseram
as autoridades.
"A demanda chinesa é muito robusta. Eles estão prontos para
reservar o algodão indiano", disse Atul Ganatra, presidente da
Associação de Algodão da Índia (CAI, na sigla em inglês).
"Mas os comerciantes indianos não têm uma ideia clara sobre
o tamanho e os preços da próxima safra, então estão resistentes
a comprometer grandes volumes", ele disse.
A maior parte dos agricultores indianos semeia algodão com a
chegada das chuvas de monções em junho, e a safra normalmente
está pronta para colheita no fim de setembro.
O algodão indiano foi vendido por cerca de 86 a 92 centavos
de dólar por libra-peso, com base em custo e frete, à China,
para envios em novembro e dezembro, disse Chirag Patel,
chefe-executivo na Jaydeep Cotton Fiber, uma grande exportadora.
O país poderia exportar mais de 2 milhões de fardos (340 mil
toneladas) para a China em novembro e dezembro, já que o algodão
indiano é quase 10 centavos de dólar por libra-peso mais barato
que a oferta de outros exportadores como os Estados Unidos e o
Brasil, disse Patel.
(Por Rajendra Jadhav e Hallie Gu)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7721))
REUTERS IM JRG


Assuntos desta notícia

Join the Conversation