Clicky

MetaTrader 728×90

PEQUIM, 12 Jan (Reuters) – O crescimento das exportações e
importações da China desacelerou em dezembro, aumentando os
sinais de perda de dinâmica econômica à medida que o governo
estendeu a repressão aos riscos financeiros e à poluição das
fábricas.
Em dezembro, as exportações do país aumentaram 10,9 por
cento em relação ao ano anterior, superando a previsão de
analistas de aumento de 9,1 por cento, mas menor que o ganho
robusto de 12,3 por cento em novembro, informou a Administração
Geral das Alfândegas nesta sexta-feira.
As importações cresceram em ritmo ainda mais lento, a 4,5
por cento sobre um ano antes, o mais fraco desde a expansão de
3,1 por cento em dezembro de 2016 e muito abaixo das previsões
de crescimento de 13 por cento e da expansão de 17,7 por cento
no mês anterior.
O saldo da balança comercial chinesa, em dezembro, ficou
superavitária em 54,69 bilhões de dólares.
Um aumento sincronizado na economia global ao longo do ano
passado tem beneficiado a China e grande parte da Ásia
dependente do comércio, com as exportações chinesas em 2017
crescendo ao ritmo mais rápido em quatro anos.
A forte desaceleração das importações de dezembro, no
entanto, alimenta preocupações de que a segunda maior economia
do mundo enfrenta a pressão da demanda doméstica, enquanto as
autoridades reduzem o crédito barato e restringem o
financiamento especulativo.
"Desde há muito esperamos que a demanda doméstica e as
importações da China diminuam em 2018 diante das políticas
monetárias e financeiras cada vez mais apertadas e menor impulso
da atividade imobiliária", disse economista-chefe para a Ásia da
Oxford Economics, em Hong Kong, Louis Kuijs.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 5644-7732))
REUTERS PD


Assuntos desta notícia