Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

PEQUIM, 8 Jun (Reuters) – As importações de petróleo da
China em maio caíram de máximas atingidas no mês anterior,
mostraram dados de alfândega, conforme refinarias estatais
entraram em manutenção programada e algumas plantas
independentes foram ordenadas a conter a operação antes de um
importante evento em uma cidade portuária.
Os embarques em maio somaram 39,05 milhões de toneladas, ou
9,2 milhões de barris por dia (bpd), segundo dados divulgados
nesta sexta-feira pela Administração Geral de Alfândegas. Isso
se compara a 9,6 milhões bpd em abril e 8,76 milhões em maio do
ano passado.
As importações nos primeiros cinco meses de 2018 foram de
190 milhões de toneladas, segundo os números, que não apontaram
uma comparação. Com base nos dados do ano passado, houve uma
alta de 7,8 por cento na comparação anual.
Mas as importações em maio subiram quase 5 por cento ante um
ano antes, e não ficaram muito longe dos níveis recordes, uma
vez que as margens seguem saudáveis para as grandes refinarias
estatais.
As importações de gás natural da China, incluindo por
gasodutos e gás natural liquefeito (GNL), somaram 7,4 milhões de
toneladas em maio, alta de 36,5 por cento na comparação anual,
conforme empresas mantiveram fortes compras para preencher
estoques e cobrir uma robusta demanda industrial.
As importações acumuladas no ano foram de 34,8 milhões de
toneladas, também alta de 36 por cento frente ao mesmo período
de 2017.
(Por Chen Aizhu)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519))
REUTERS LC JRG


Assuntos desta notícia