Clicky

Profitchart Pro 728×90

PEQUIM, 13 Out (Reuters) – As fábricas chinesas compraram
muitas commodities importadas no mês passado, em meio a custos
crescentes e fornecimento mais apertado de matérias-primas na
segunda maior economia do mundo, impulsionados pela campanha
antipoluição de Pequim.
Mas a força na demanda de importação provavelmente não será
sustentada nos próximos meses, já que muitas dessas empresas
limitam a produção durante o inverno, de acordo com a aposta da
China para um ar limpo.
As usinas de aço e os operadores importaram volume recorde
de minério de ferro, enquanto as de carvão atingiram a máximo em
quase três anos, os embarques de gás atingiram máximas de nove
meses e as importações de cobre, bem como concentrados e
minérios foram as maiores desde março.
A compra de commodities ajudou a impulsionar um aumento
melhor do que o esperado de 18,7 por cento nas importações
totais da China, informaram os dados aduaneiros nesta
sexta-feira.
Com os preços subindo em casa, os fabricantes tiveram que
importar para garantir suprimentos prontos e mais baratos. Os
preços do carvão térmico aumentaram quase 50 por cento
este ano, atingindo um recorde acima de 600 iuanes (91 dólares)
por tonelada no mês passado e segurando grande parte dos ganhos
de preços.
Isso destaca o desafio de Pequim, à medida que o governo
intensifica os esforços para combater o ar notoriamente tóxico
da China e seguir seu esforço de anos para racionalizar o
excesso das indústrias, enquanto também tenta garantir que essas
medidas não reduzirão suprimentos e elevarão os preços das
principais matérias-primas.
(Por Josephine Mason e Muyu Xu)
((Tradução Redação São Paulo 56447764))
REUTERS NS MPP


Assuntos desta notícia

Join the Conversation