Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

HONG KONG, 14 Mar (Reuters) – O fundo soberano chinês China
Investment Corp (CIC) vendeu sua participação na empresa
norte-americana de private equity Blackstone Group ,
deixando o investimento após 11 anos.
O acordo original com o Beijing Wonderful Investments –
entidade legal formada pelo CIC para investir na Blackstone –
foi firmado em maio de 2007, pouco antes da oferta inicial de
ações da empresa de private equity.
O acerto permitiu que o fundo soberano mantivesse até 9,99
por cento da empresa de private equity. Em 2008, o fundo elevou
sua fatia na Blackstone para 12,5 por cento, informou a Reuters
na ocasião.
A saída do CIC da Blackstone vem em meio a crescentes
tensões comerciais entre Pequim e Washington desde que o
presidente Donald Trump assumiu a presidência dos Estados
Unidos.
Trump busca impor tarifas sobre até 60 bilhões de dólares de
importações chinesas e vai mirar os setores de tecnologia e
telecomunicações, disseram na terça-feira duas pessoas que
discutiram o assunto com o governo Trump.
"Desde 22 de fevereiro, Beijing Wonderful Investments não
mais detém units com direito a voto", disse a Blackstone em seu
relatório anual registrado junto ao órgão regulador mais cedo
neste mês. A empresa não deu mais detalhes.
O CIC, com sede em Pequim e cujos ativos ultrapassaram 800
bilhões de dólares ao final de 2016 devido, principalmente, a
retornos mais fortes de suas carteiras em outros países, não
respondeu imediatamente ao pedido da Reuters por comentário.
Apesar da venda de participação do CIC, a um porta-voz da
Blackstone disse em um comunicado separado na quarta-feira que a
empresa de private equity continua a "expandir este importante
relacionamento como um dos maiores gestores de recursos do CIC".
Os detalhes financeiros da venda da fatia do CIC na
Blackstone não ficaram claros imediatamente e uma fonte
familiarizada com o assunto disse que o fundo soberano vinha
vendendo suas ações gradualmente ao longo dos últimos anos.
O CIC, que foi fundado para ajudar a China a impulsionar
retornos em suas reservas internacionais, tinha uma participação
de cerca de 4,5 por cento na Blackstone ao final do ano passado,
disse a fonte, que pediu anonimato uma vez que a informação não
é pública.
(Sumeet Chatterjee, reportagem adicional de Matt Miller)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 5644-7727))
REUTERS FB RBS


Assuntos desta notícia