Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Tommy Wilkes
LONDRES, 3 Mai (Reuters) – O euro subia nesta quinta-feira
após atingir mínimas de quatro meses, dando de ombros para dados
mostrando desaceleração inesperada na inflação da zona do euro,
ao mesmo tempo em que o recente rali do dólar dava uma pausa.
A inflação na zona do euro desacelerou a 1,2 por cento em
abril sobre o ano anterior, contra 1,3 por cento em março, e o
núcleo da inflação caiu ainda mais, levantando questões sobre o
plano do Banco Central Europeu (BCE) de retirar gradualmente o
estímulo monetário.
Nos últimos 15 dias o dólar apagou toda as perdas de 2018.
Ele subiu diante das expectativas de que os Estados Unidos
elevaria os juros mais rápido do que o previsto, além da rápida
cobertura de posições por investidores que estavam vendidos na
moeda.
Mas o rali do dólar foi suspenso depois que o Federal
Reserve manteve a taxa de juros na véspera, o que não alterou as
expectativas do mercado de mais altas neste ano.
As afirmações do Fed foram "possivelmente decepcionantes
para os que apostam na alta do dólar", mas o principal motivo
para a resiliência do euro nesta quinta-feira é a realização de
lucro após a rápida alta do dólar, disse Jane Foley,
estrategista de câmbio do Rabobank.
Foley disse que os compradores de euros continuam sob o
risco de dados econômicos mais fracos da zona do euro.
"Não estamos mais vendo dados melhores que o esperado. O
mercado ainda está um pouco comprado em euros e permanece
vulnerável", disse ela.
O euro caiu ligeiramente após os dados de inflação
mas se recuperou e às 08:38 (horário de Brasília) tinha alta de
0,21 por cento, a 1,1973 dólar.
O Fed manteve na quarta-feira a taxa de juros na faixa entre
1,5 e 1,75 por cento como esperado. Analistas interpretaram as
declarações do banco central sobre a inflação como um sinal de
que pode permitir que os preços subam além de sua meta, uma
postura que limitaria a necessidade de embarcar em uma
trajetória mais agressiva de aperto monetário.
O dólar tinha variação positiva 0,03 por cento contra a
cesta de moedas , a 92,539.
"O mercado terá que se acostumar com o fato de que, para
evitar um superaquecimento econômico, os juros nos EUA
continuarão a subir", disseram analistas do Commerzbank.
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS TH CMO


Assuntos desta notícia