Clicky

MetaTrader 728×90

Os investidores dos mercados acionários globais mantiveram, em parte, as negociações nesta segunda-feira. O temor de um acirramento nas questões ligadas a Síria ficaram no radar. A grande expectativa seguia para os ruídos de que a administração Trump estava  prestes a impor mais sanções à Rússia. Porém, em entrevista ao programa “ Fox News Sunday”, a embaixadora dos Estados Unidos, Nikki Haley,  disse que as últimas sanções terão como alvo empresas ligadas ao regime sírio e suas armas químicas.

No final de semana, os Estados Unidos e seus aliados atacaram o centro de produção de armas químicas na Síria. A medida foi uma resposta aos recentes ataques com essas armas na região de Damasco e que vitimaram civis no final da semana passada. As imagens revoltaram o mundo e, de acordo com os Estados Unidos, o uso do material teria sido ordenado pelo presidente sírio Bashar al-Assad.  Ante as acusações, a Rússia saiu em defesa da Síria.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Voltando aos mercados acionários, os índices asiáticos fecharam sem direção. Os investidores ficaram atentos aos acontecimentos externos enquanto aguardam os números da economia chinesa programados para hoje.

Na Europa, o comportamento foi o mesmo da Ásia. A concentração ficou com os Estados Unidos, em dia de ajustes e correções. A agenda da região estava vazia.

Nos Estados Unidos, contrariando as estimativas, os investidores de Wall Street focaram os negócios na temporada de balanços corporativos e, pelo menos por enquanto, não houve nenhuma reação imediata da Rússia e nem da Síria. Analistas estavam vendo os ataques como um evento isolado.

De outro lado, cresce a atenção para a lista de produtos com as tarifas que o governo norte-americano está preparando para a China e deverá ser anunciada ainda essa semana. Vale destacar que o governo chinês também endureceu sua posição na disputa comercial com os Estados Unidos na semana passada.

Por aqui, além do cenário externo, o humor dos investidores azedou com os resultados da primeira pesquisa eleitoral preparada pelo Datafolha, divulgada neste final de semana, sem a participação do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, que está fora do páreo de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Lula está preso desde o último dia 07 em Curitiba.

Indicadores apresentados hoje, como o IBC-BR, ficaram em linha e mostraram ainda a fraqueza da economia doméstica.

O Ibovespa fechou em queda e o dólar, que em grande parte do dia ficou valorizado ante o real, acabou corrigindo.

ÁSIA

As bolsas da Ásia fecharam sem direção nesta segunda-feira, com a cautela dos investidores para o avanço das moedas. O enfraquecimento do dólar na semana fez o Banco Central da China vender US$1,23 bilhão em leilões de compra. O ataque dos Estados Unidos contra a Síria ficou no radar, porém, a grande expectativa para essa noite é a divulgação do PIB da China.

Ao final, o índice Asia Dow ficou em queda de 0,13% a 3.605. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em queda de 1,60% aos 30.315. O Xangai Composite ficou em queda de 1,53% aos 3.110. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em alta de 0,10% aos 2.457 pontos. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em queda de 0,12% aos 3.497. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,27% aos 34.192. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,26% a 21.835. O índice XJO, bolsa de Sidney ficou em alta de 0,21% aos 5.841.

Ainda na China, a taxa de empréstimo interbancário de um mês subiu 0,85% na sexta-feira em Hong Kong para 1% nesta segunda-feira.

Na Ásia, as preocupações com o conflito entre Estados Unidos e a Síria pesaram também nos negócios.

No Japão, a bolsa de Tóquio fechou com ganho modesto e o iene chegou a perder força diante do dólar, depois da pesquisa de opinião mostrando enfraquecimento de apoio ao Primeiro Ministro Shinzo Abe.

O índice Xangai Composto recuou 1,53%, com investidores cautelosos à espera da divulgação dos dados do PIB do primeiro trimestre, no fim da noite desta segunda-feira.

As ações dos bancos perderam foram as que mais tiveram perdas, com o China Construction e o Industrial e Comercial, caindo mais de 2%.

Ficam no radar dos mercados da Ásia as declarações de membros dos bancos centrais e os dados do PIB da China.

EUROPA

Os investidores dos mercados acionários da Europa mantiveram a cautela nas negociações desta segunda-feira, com o aumento das compras pela manhã e na realização de lucros perto do fechamento. O temor é de uma retaliação por parte da Rússia contra os Estados Unidos depois dos ataques nos centros de produção de armas químicas na Síria por ordem do governo americano.

No Velho Continente, ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,39% aos 377.74, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou estável aos 23.329; o Ibex 35 (Madri) ficou estável a 9.766; o DAX 30 (Frankfurt) caiu 0,41% aos 12.391; o FTSE-100 (Londres) caiu 0,91% a 7.198; o CAC 40 (Paris) recuou 0,04% aos 5.312; e o PSI-20 (Lisboa) caiu 0,43% a 5.453.

Notícias corporativas na aérea de tecnologia e os balanços financeiros também ficaram no radar.

As ações da Whitbread subiram 7,1%, depois que a Elliott Management anunciou em comunicado no fim de semana que acumulou uma participação de mais de 6% na maior operadora de hotéis e cafeterias da Grã-Bretanha. Elliott também disse acreditar que atualmente é o maior investidor da empresa, cujos negócios incluem a rede Premier Inn e a rede Costa Coffee.

As ações da Software AG caíram 6,1% depois que o fornecedor alemão de software de processo e integração afirmou na sexta-feira que elevo sua perspectiva de receita vinculada à computação em nuvem e à chamada Internet das Coisas. Mas a empresa também divulgou um declínio na receita do primeiro trimestre com outro negócio.

Indicadores

No Reino Unido, o índice Econômico – Conference Leading Economic – (LEI) caiu 0,4% em fevereiro de 2018 para 97,8. O índice Coincidente (CEI) aumentou 0,2% em fevereiro de 2018 para 102,0. Os índices econômicos compostos são os elementos-chave em um sistema analítico projetado para sinalizar altos e baixos no ciclo de negócios. Os índices econômicos principais e coincidentes são essencialmente médias compostas de vários indicadores condutores ou coincidentes individuais.

ESTADOS UNIDOS

bolsa de valores de Nova York fechou com ganhos nesta segunda-feira, com os investidores focando os negócios nos resultados corporativos. O temor de um avanço do estresse geopolítico ficou de lado, pelo por enquanto.

Ao final, o S&P ficou em alta de 0,81% aos 2.677 pontos. O Dow Jones ficou em alta de 0,87% aos 24.573 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,70% aos 7.156 pontos.

Entre os grupos com ganhos estavam as ações de energia, telecomunicações e industriais. O índice de volatilidade, VIX ficou em queda de 4,88% e no menor fechamento em mais de um mês.

A Netflix Inc viu as ações subindo mais de 6% no pregão de segunda-feira, depois que a gigante de  streaming-vídeo reportou melhores lucros e adições de assinantes acima do esperado. A Netflix informou que adicionou 7,4 milhões de novos assinantes no primeiro trimestre de 2018, quando teve lucro de US $ 290,1 milhões, ou 64 centavos por ação, com receita de US $ 3,7 bilhões. Os analistas esperavam, em média, 6,6 milhões de novos assinantes, com lucro de 63 centavos por ação e receita de US $ 3,69 bilhões, segundo a FactSet.

As questões geopolíticas permaneceram no foco depois que os Estados Unidos, França e à Grã-Bretanha se uniram para lançar mísseis que destruíram parte dos laboratórios de armas químicas da Síria no sábado. Os ataques deixaram intactas muitas das instalações militares convencionais do presidente Bashar al-Assad, o que pode diminuir o temor de uma escalada nas tensões com a Rússia, um dos apoiadores do regime sírio. O governo norte-americano comemorou.

Os lucros das empresas tendem a ser mais importantes para os investidores. Para a semana, os resultados de gigantes estão sendo esperados, com os e General Electric Co.

Indicadores

Nos Estados Unidos, as estimativas antecipadas de vendas de varejo e alimentos para março de 2018 foi de US $ 494,6 bilhões, um aumento de 0,6% (± 0,5%) em relação ao mês anterior e 4,5% (± 0,5%) acima de março de 2017. As vendas totais do período de janeiro de 2018 até março de 2018 aumentaram 4,1% (± 0,5%) em relação ao mesmo período do ano anterior. A variação percentual de janeiro de 2018 até fevereiro de 2018 não foi revisada, caindo 0,1% (± 0,2%). As vendas do comércio varejista cresceram 0,6% (± 0,5%) em relação a fevereiro de 2018 e 4,7% (± 0,5%). Os dados são do Census.

Nos Estados Unidos, a atividade empresarial cresceu a um ritmo sólido no Estado de Nova York, de acordo com as empresas que responderam à pesquisa Empire State Manufacturing, de abril de 2018. O índice geral das condições gerais de negócios, em 15,8, permaneceu firmemente em território positivo, embora seu declínio de sete pontos em relação ao nível de março tenha apontado para um ritmo de crescimento um pouco mais lento.

Nos Estados Unidos, a confiança do construtor no mercado de residências unifamiliares recém-construídas desceu um ponto para um nível de 69 em abril, conforme mostrou hoje a Associação Nacional de Construtores.

BRASIL

A bolsa de valores de São Paulo manteve a queda nesta segunda-feira. Depois do exercício de opções sobre ações, os investidores concentraram as atenções no resultado da primeira pesquisa de intenções de votos do Datafolha apresentada neste final de semana. Além disso, os Estados Unidos no ficaram no foco central global depois dos ataques na Síria. Entretanto, é esperada uma possível retaliação por parte da Rússia contra a atitude do governo americano.

As ações das estatais escorregaram, com destaques para Eletrobras, sem definição clara para a privatização das distribuidoras,  e a Petrobras, que acompanhou os preços do petróleo nos mercados internacionais.

Ao final, o IBovespa ficou em queda de 1,75% aos 82.861 pontos. O volume financeiro ficou em R$12,88 bilhões.

As ações com ganhos

Suzano Papel ON, alta de 1,68%; Klabin UNT, alta de 0,98%; WEG ON, alta de 0,45%; Cielo ON, alta de 0,59%; e Energias BR ON, alta de 0,52%.

As ações com perdas

Usiminas PNA, queda de 4,66%; Eletrobras PNB, queda de 4,29%; Eletrobras ON, queda de 3,59%;  B3 ON, queda de 3,94%; e Copel PNB, queda de 3,80%.

A Petrobras ON ficou em queda de 3,54% e a PN, queda de 2,74%.

Exercício de opções

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou hoje no segmento Bovespa, R$ 3.666.923.634,27, dos quais R$ 2.050.970.013,37 em opções de compra e R$ 1.615.953.620,90 em opções de venda.

Papéis em destaque:

PETR    –   PN  R$ 16,50 por ação movimentou R$ 108.710.250,00   em opções de compra;

ABEVE –   ON  R$ 21,76 por ação movimentou R$   92.684.544,00  em opções de compra;

ITSAE   –   PN  R$ 12,25 por ação movimentou R$   79.297.925,00  em opções de compra;

PETRE   –  PN   R$ 21,00 por ação movimentou R$  75.938.100,00 em opções de venda;

SUZB  –     ON   R$ 24,34 por ação movimentou R$   73.020.000,00 em opções de compra.

Ainda nesta segunda-feira, a B3 divulgou a segunda prévia do Índice Bovespa que vai vigorar de 07 de maio de 2018 a 31 de agosto de 2018, com base no fechamento do pregão de 13 de abril de 2018. A prévia do Ibovespa registra a entrada de BTOW3 (B2W DIGITAL ON), CVCB3 (CVC ON) e GOLL4 (GOL PN), totalizando 66 ativos de 63 empresas.

Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Itauunibanco PN (10,535%), Vale ON (10,235%), Bradesco PN (7,934%), AMBEV S/A ON (7,076%) e Petrobras PN (6,325%).

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres a 1,53% a US$72,51 o barril.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,59%, cotado a US$ 66,32 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em queda de 1,59% a US$63,93 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.124,70, alta de 2,52%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.034,10 a tonelada, alta de 0,30%.

Moedas

O dólar comercial perdeu força no final do pregão desta segunda-feira na B3. Depois de manter as atenções no cenário doméstico, com o resultado da primeira pesquisa de intenções de votos para a corrida presidencial apresentada neste fim de semana pelo Datafolha, a moeda entrou em correção. O foco ficou no cenário externo, depois que os ataques nos laboratórios de produção de armas químicas na Síria pelos Estados Unidos e países aliados não surtiram efeitos diretos nos mercados financeiros globais.

Ao final, no interbancário, o dólar ficou cotado a R$3, 411 para a compra e R$3,412 para a venda, queda de 0,41%.

O euro ficou em R$4,223 para a compra e R$4,225 para a venda, queda de 0,07%.

A libra ficou em R$4,889 para a compra e R$4,892 para a venda, alta de 0,33%.

O Banco Central do Brasil ofertou 3,4 mil contratos na venda de dólares no mercado futuro na modalidade de swap cambial tradicional. Todos os contratos foram vendidos na rolagem de US$1,02 bilhão com vencimento para maio.

Na bolsa de Nova York, o dólar opera em queda e com os investidores concluindo que o ataque na Síria pelos Estados Unidos foi um evento isolado. Entretanto, o temor segue para um estreitamento nas relações com a Rússia, que condenou os ataques em defesa do governo de Bashar al-Assad.

Há pouco, o índice DXY, que compara o dólar com outras seis moedas, estava em queda de 0,46% a 89,46. O WSJ, que amplia a comparação com mais 16 moedas, estava em queda de 0,33% a 83,58.

O euro seguia em alta de 0,43% a US$1.2378. A libra estava em alta de 0,70% a US$1.4324.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation