Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Jarrett Renshaw e Chris Prentice
NOVA YORK, 30 Abr (Reuters) – A Agência de Proteção
Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês) concedeu
uma isenção financeira a uma refinaria de petróleo do bilionário
Carl Icahn, ex-assessor do presidente Donald Trump, blindando a
unidade de Oklahoma das exigências da lei federal de
biocombustíveis, de acordo com duas fontes da indústria com
conhecimento do assunto.
A renúncia permite que a CVR Energy evite dezenas de
milhões de dólares em custos relacionados ao Padrão de
Combustível Renovável (RFS).
O regulamento visa diminuir a poluição do ar, reduzir as
importações de petróleo e apoiar os produtores de milho,
exigindo que as refinarias misturem bilhões de galões de
biocombustíveis na gasolina e no diesel do país a cada ano.
A Coalizão de Pequenas Refinarias, que representa empresas
que operam pequenas instalações de refino, defendeu o programa
de isenção da EPA, dizendo que a entidade é obrigada por lei a
ajudar refinarias menores impactadas pelo RFS e que as isenções
são cruciais para o equilíbrio financeiro.
Mas a isenção para a fábrica da CVR em Wynnewood, Oklahoma,
provocou novas críticas do poderoso lobby do milho, que já
acusou a EPA de Trump de usar excessivamente o programa de
isenção de uma maneira que prejudica a demanda por etanol à base
do cereal.
"Isso vai ser difícil para (Scott) Pruitt explicar", disse
Brooke Coleman, chefe do grupo de negócios Advanced Biofuels
Business Council, em um e-mail na sexta-feira, referindo-se ao
administrador da EPA.
A porta-voz da CVR, Brandee Stephens, recusou-se a comentar
a renúncia. A porta-voz da EPA, Liz Bowman, não respondeu aos
repetidos pedidos por telefone e e-mail para comentários. Os
esforços para contatar Icahn e seu advogado não obtiveram
sucesso.
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519))
REUTERS JRG LC


Assuntos desta notícia