Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Roberto Samora
SÃO PAULO, 14 Fev (Reuters) – Os estoques finais de suco de
laranja do Brasil na safra 2017/18 deverão mais do que dobrar na
comparação com a temporada anterior, após uma safra maior e uma
recuperação das exportações brasileiras depois de mínimas
históricas, previu nesta quarta-feira a Associação Nacional dos
Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR).
A associação informou que os estoques de suco de laranja do
maior produtor e exportador global atingirão 254,2 mil toneladas
(suco concentrado congelado equivalente 66 Brix), alta de 137
por cento ante 2016/17 (base 30 de junho) –os números
consideram volumes estocados no Brasil e em países importadores.
Se confirmado, acrescentou a CitrusBR, o estoque será ainda
um dos menores da série histórica e o suficiente para abastecer
o mercado por apenas 12 semanas. A previsão, contudo, indica um
aumento ante a estimativa de agosto do ano passado, de 207,6 mil
toneladas.
Os estoques ainda em níveis relativamente baixos, olhando a
série histórica, podem ajudar a dar sustentação aos preços da
commodity, uma vez que há expectativa de que as próximas safras
do Brasil e da Flórida, nos Estados Unidos, sejam menores, de
acordo com avaliações preliminares de outras
instituições.
"Para efeito de comparação, uma vez confirmadas as 254.200
em junho de 2018, esse volume representaria apenas 31,2 por
cento do que foi o estoque em 30 de junho de 2013, quando o
volume de suco chegou a 765.924 toneladas, o suficiente para
abastecer o mercado por 35 semanas", afirmou a CitrusBR em nota.
Os estoques finais em 2013 foram os maiores de uma série
histórica divulgada pela associação, que inclui números desde
2011.
A safra de laranja 2017/18 do parque citrícola de São Paulo
e Minas Gerais, principal região produtora do país, deve
alcançar 385,2 milhões de caixas de 40,8 kg, alta de 57 por
cento ante a fraca temporada passada, segundo a mais recente
estimativa do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus),
divulgada em dezembro.
Esse aumento permitiu um avanço das exportações do Brasil.
No acumulado da safra de julho de 2017 a janeiro de 2018, as
exportações brasileiras de suco de laranja somaram 651,3 mil
toneladas, aumento de 20 por cento na comparação com o mesmo
período do ano anterior, quando atingiram no fechamento da
temporada os menores volumes em mais de 25 anos.
"Uma boa parte do aumento do volume exportado é por conta
dos baixos estoques lá fora e também tem um aumento grande para
os Estados Unidos", disse o diretor-executivo da associação,
Ibiapaba Netto à Reuters, lembrando que os norte-americanos
importaram mais para aliviar os impactos do furacão Irma nas
lavouras e também com um aumento do consumo recente, devido a um
surto de gripe.
As exportações para os EUA, segundo principal destino dos
embarques do Brasil após a União Europeia, aumentaram no
acumulado da safra até janeiro 34 por cento, para 162 mil
toneladas.
A CitrusBR informou também os estoques de suco do Brasil no
mundo em 31 dezembro de 2017, que totalizaram 702.981 toneladas,
um aumento de 41,3 por cento ao volume da mesma data no ano
anterior –o dado é obtido por meio de auditorias individuais e
independentes e posteriormente compilado por nova auditoria.

PRÓXIMA SAFRA
O diretor-executivo da CitrusBR disse ainda em nota que
agora "todos os olhos agora estão voltados para a próxima safra
(2018/19) que, ao que tudo indica, não será grande".
Ele não fez comentários adicionais sobre o assunto.
Segundo avaliação do Centro de Estudos Avançados em Economia
Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, divulgada em janeiro, o clima
desfavorável durante o "pegamento" dos chumbinhos da primeira
florada (a principal), que dariam origem às frutas da próxima
temporada, resultou em perdas em importantes regiões produtoras
de citros de São Paulo.
A CitrusBR reportou ainda uma "piora" no rendimento
industrial da safra atual (2017/18).
No acumulado da safra, o rendimento industrial está estimado
em 282,49 caixas de 40,8 kg para a produção de uma tonelada de
suco (FCOJ Equivalente 66 graus Brix).
Nas últimas cinco safras, o rendimento médio foi de 279,22
caixas.
Os dados sobre processamento de laranja pela indústria na
safra 2017/2018 ainda serão compilados e divulgados em maio,
disse a CitruBR.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Edição de José Roberto Gomes)
(([email protected] 5511 5644 7751 Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia