Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Manolo Serapio Jr
MANILA, 22 Jan (Reuters) – Os estoques em nível recorde de
minério de ferro nos portos da China poderiam produzir aço
suficiente para 107 milhões de carros, mais que três vezes as
vendas anuais de veículos no país, ou o suficiente para alcançar
a lua se os automóveis fossem empilhados uns sobre os outros.
Com o mercado de aço na China mostrando sinais de fadiga
após uma recuperação no final do ano passado, os enormes
estoques de mais de 150 milhões de toneladas de minério de ferro
podem se tornar uma ameaça para os preços da commodity, segundo
operadores e analistas de mercado.
Com uma resiliente demanda por aço e ações de combate à
poluição, que incluíram o fechamento de usinas, o volume de
minério de ferro importado nos maiores portos da China atingiu
154,43 milhões de toneladas em 19 de janeiro, alta de quase 30
por cento ao longo de 12 meses e o maior nível desde 2004,
quando a consultoria SteelHome começou a compilar os dados.
"Há minério de ferro demais nos portos, e isso vai
pressionar os preços para baixo", disse um operador de minério
de ferro em Xangai. "Se o volume continuar a crescer, operadores
serão forçados a vender mais barato".
Cerca de 37 por cento dos estoques nos portos pertencem a
operadores de mercado, enquanto o restante é de usinas, segundo
a SteelHome. Ambos os grupos elevaram as importações ao longo de
2017, conforme os preços domésticos do aço subiram quase 50 por
cento, em parte devido a cortes de produção para combater a
poluição.
Os fechamentos na campanha anti-poluição ajudaram também a
elevar a demanda por minério de ferro importado de melhor
qualidade, principalmente da Austrália e do Brasil, que
conseguem produzir mais com menos emissões.
O Barclays estimou que a produção de aço anual da China deve
cair ante o recorde do ano passado, de 831,7 milhões de
toneladas, para 820 milhões de toneladas, citando uma
desaceleração no setor de imóveis e uma mudança para uma
economia focada em "qualidade" ao invés de "quantidade".
As importações de minério de ferro também tiveram um recorde
em 2017, de 1,075 bilhão de toneladas, com Austrália e Brasil
como principais fornecedores, com quase 80 por cento do total.
As importações do Irã e da Índia, no entanto, cresceram em dois
dígitos.
Segundo operadores, muito do material estocado nos portos é
de minério de ferro de baixa qualidade, pouco requisitado no
mercado.
O minério de ferro fechou a 76,75 dólares a tonelada na
sexta-feira, queda de 3 por cento ante um pico de 4 meses e meio
tocado no início de janeiro.
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519))
REUTERS LC MN


Assuntos desta notícia