Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Martinne Geller
LONDRES, 14 Jun (Reuters) – A gigante britânica dos produtos
de consumo Unilever afirmou que a greve dos
caminhoneiros no Brasil no final de maio afetou as vendas mais
que o esperado, contribuindo para o recuo do preço das ações da
companhia nesta quinta-feira.
A empresa afirmou que a paralisação dos caminhoneiros no
país — que interrompeu as entregas de insumos em fábricas ou de
produtos para lojas por 11 dias — reduzirá em 150 milhões de
euros as vendas da empresa no segundo trimestre.
O impacto se traduz em aproximadamente 120 pontos-base de
crescimento de vendas para o segundo trimestre e 60 pontos-base
para o semestre, disse o vice-presidente financeiro da empresa,
Graeme Pitkethly.
Ele afirmou que o crescimento geral de vendas no primeiro
semestre será inferior à meta de 3 a 5 por cento estipulada para
o ano por causa da paralisação no Brasil, mas atingirá esse
intervalo até o final do ano.
O analista da Liberum Anubhav Malhotra estima que a greve
custará à Unilever entre 10 e 15 pontos-base de crescimento
orgânico de vendas no ano, e não mais que 1 por cento de redução
em relação ao consenso do mercado sobre o lucro por ação do
grupo.
"A magnitude foi um pouco maior que alguns de nós
esperávamos", disse Malhotra, se referindo aos impactos da greve
dos caminhoneiros. O Brasil responde por cerca de 6 por cento
das vendas da Unilever.
((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447553))
REUTERS GM AAJ


Assuntos desta notícia

Join the Conversation