Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

WASHINGTON, 12 Mar (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, emitiu uma ordem nesta segunda-feira que
proíbe a Broadcom de comprar a Qualcomm
argumentando questão de segurança nacional.
A Qualcomm rejeitou a oferta de aquisição feita pela
Broadcom, sediada em Cingapura, avaliada em 117 bilhões de
dólares. A proposta está sendo avaliada pelo Comitê de
Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos, uma agência
liderada pelo Departamento do Tesouro que analisa implicações
para a segurança nacional geradas por aquisições de empresas
norte-americanas por grupos estrangeiros.
"A proposta de aquisição da Qualcomm pela compradora é
proibida e qualquer fusão ou aquisição substancialmente
equivalente…está também proibida", afirma a ordem
presidencial.
A ordem cita "evidência crível" que levou Trump a acreditar
que a compra da Qualcomm pela Broadcom "poderia ser uma ação que
ameaça desequilibrar a segurança nacional nos EUA".
Esta é a quinta vez que um presidente dos EUA impede uma
transação entre empresas com base nas objeções levantadas pela
agência e também a segunda operação bloqueada por Trump.
A indústria de semicondutores está desenvolvendo chips de
tecnologia de quinta geração (5G), que permitirão velocidades
maiores de transmissão de dados sem fio.
Uma fonte próxima da agência afirmou que se um acordo entre
Qualcomm e Broadcom fosse concluído, os militares dos EUA teriam
receio de que em 10 anos "haveria essencialmente uma empresa
dominante nestas tecnologias e ela seria essencialmente a Huawei
e as operadoras norte-americanas não teriam escolha. Elas teriam
que comprar (equipamentos) Huawei."
(Por Diane Bartz e Chris Sanders em Washington, Supantha
Mukherjee e Pushkala Aripaka em Bangalore; Greg Roumeliotis em
Nova York)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753))
REUTERS AAJ


Assuntos desta notícia