Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Ana Mano
SÃO PAULO, 23 Nov (Reuters) – O prolongamento de uma linha
férrea da Rumo Logística no Mato Grosso depende da
prorrogação da concessão da Malha Paulista, disse o
presidente-executivo da companhia, Júlio Fontana, nesta
quinta-feira.
O executivo afirmou em entrevista que incertezas sobre a
renovação da concessão ferroviária no Estado de São Paulo influi
em decisões de investimento da maior operadora ferroviária
independente da América Latina.
A concessão da Malha Paulista expira em 2028 e sem a
renovação a Rumo arrisca não recuperar o investimento na conexão
com a Malha Norte, disse Fontana. A Rumo, controlada pela Cosan
Logística , busca uma prorrogação de 30 anos da
concessão da Malha Paulista.
"A extensão da ferrovia (no Mato Grosso) depende
umbilicalmente de prorrogação da concessão", disse o executivo.
"Nós encaminhamos todos os documentos, agora cabe às
autoridades decidir sobre a renovação", disse Fontana. A Rumo
iniciou o processo de renovação há dois anos, acrescentou o
executivo, e agora aguarda uma decisão da Agência Nacional de
Transportes Terrestres (ANTT), que ainda terá que ser avalizada
pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
O extensão de 650 quilômetros da ferrovia, ligando
Rondonópolis a Sorriso, tem o potencial de reduzir os preços de
grãos do Brasil, o maior exportador de soja do mundo.
Fontana disse ainda que a Rumo mantém os planos de investir
9 bilhões de reais até 2020 para ampliar operações,
acrescentando que a companhia poderá participar da licitação da
Ferrogrão, ferrovia de 1.100 quilômetros que conectará o
Centro-Oeste ao porto de paraense de Miritituba.
((Edição Redação São Paulo, 55 11 56447753))
REUTERS AAJ


Assuntos desta notícia