Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Repete notícia publicada ontem ao final da tarde)
Por Sergio Goncalves
LISBOA, 15 Mai (Reuters) – A Oferta Pública de Aquisição
(OPA) da China Three Gorges (CTG) visa defender a estratégia de
crescimento industrial que já tem com parceira estratégica
EDP-Energias de Portugal , sentindo que rivais estariam
a olhar para a empresa, disseram fontes.
Uma fonte referiu que, para além da compra da participação
de 21,35 pct da EDP há seis anos, no âmbito de uma privatização,
a CTG já investiu mais 2.000 ME na compra de posições
minoritárias em parques eólicos do maior grupo industrial de
Portugal.
Actualmente, a CTG, que é o maior accionista da EDP, tem
23,27 pct e a chinesa CNIC tem mais 4,98 pct, ou seja são
atribuíveis ao Estado chinês 28,25 pct da EDP – que tem uma
presença vasta global desde a Europa, Brasil e EUA.
A fonte explicou que "a CTG não é só accionista, é o
parceiro da EDP".
"Qualquer ideia, seja de quem for, de querer controlar a EDP
tem de lidar com esta questão: a CTG já tem um projecto
industrial e não tem qualquer intenção de ir embora", afirmou
aquela fonte, referindo que não há hostilidade.
Realçou que a "OPA é um movimento defensivo da estratégia,
do projecto industrial que a CTG tem para a EDP e do que já
investiu no grupo português".
Os analistas têm dito que, num movimento de consolidação do
sector europeu, empresas como a francesa Engie poderiam estar
interessadas em 'cobiçar' a EDP, bem como as energéticas alemãs.
No passado, fontes disseram que a espanhola Gas Natural se
aproximou da EDP para uma fusão.
As acções da EDP dispararam hoje 10,9 pct para um máximo de
3,45 euros, acima da contrapartida oferecida pela CTG na OPA
geral, com os investidores a anteciparem que a CTG subirá o
preço ou que poderá aparecer uma oferta concorrente, segundo
dealers.
A CTG, lançou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) geral
sobre a EDP a 3,26 euros por acção, ou um modesto prémio de
cinco pct face à cotação de fecho de sexta-feira.
O Conselho de Administração Executivo (CAE) poderá reunir-se
ainda esta semana.
Uma fonte financeira referiu que a EDP deverá "pressionar
para um preço melhor".
A EDP não faz qualquer comentário.
Uma terceira fonte referiu que "a CTG sabia que havia muitas
empresas europeias estavam a olhar para a EDP, que tem uma
dimensão média e activos interessantes".
No anúncio preliminar de OPA, a CTG referiu que pretende que
a EDP "venha a liderar as operações e a expansão do Grupo China
Three Gorges Corporation na Europa, nas Américas e nos países
lusófonos".
Adiantou que, "caso seja considerado do interesse da EDP
e dos seus stakeholders relevantes, o Grupo China Three Gorges
Corporation poderá vir a considerar a aportação de activos
relevantes, visando fortalecer a posição da EDP no mercado".
"Os objectivos de tal potencial aportação de ativos
consistiriam na racionalização de portefólios de negócio
combinados, no fortalecimento do perfil de crédito
da EDP", disse a CTG.
Adiantou que tal seria "através da redução do seu rácio de
alavancagem, e na criação de valor adicional, através da
poupança de custos".

(Reportagem adicional de Axel Bugge em Lisboa; Pamela Barbaglia
em Londres e Geert De Clercq em Paris
Editado por Patrícia Vicente Rua)
(([email protected]; +351213509204; Reuters
Messaging: [email protected]))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation