Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Leika Kihara
TÓQUIO, 15 Mai (Reuters) – O presidente do Banco do Japão,
Haruhiko Kuroda, sinalizou nesta terça-feira a possibilidade de
o banco central do país elevar os juros de longo prazo antes que
a inflação atinja sua ambiciosa meta de 2 por cento.
"Não é como se defendêssemos a meta de 10 anos em torno de
zero por cento a todo custo", disse Kuroda ao Parlamento, quando
perguntado se o banco manteria os juros nesse patamar até que a
inflação atingisse 2 por cento.
Mas Kuroda acrescentou que não tinha "absolutamente nenhum
plano" de aumentar os juros por enquanto, com a inflação ainda
distante da meta.
Sob a política de controle de curva de juros adotada em
2016, o banco central japonês orienta a taxa de juros de curto
prazo a menos 0,1 por cento e o rendimento de títulos de 10 anos
do governo em torno de zero por cento.
Kuroda está enfrentando pedidos crescentes, inclusive de
dentro do Banco do Japão, para estar mais atento ao aumento do
custo de flexibilização prolongada, como o impacto nos lucros
bancários de anos de juros ultra-baixos.
Kuroda disse que era verdade que havia algumas discussões
dentro de seu conselho sobre os efeitos colaterais da manutenção
de um programa de estímulo massivo.
Mas não houve ligação direta entre essas discussões e a
decisão em abril de remover qualquer prazo para atingir sua meta
de inflação de 2 por cento, acrescentou.
A terceira maior economia do mundo cresceu por oito
trimestres seguidos até o final de 2017, a mais longa expansão
contínua desde os anos 1980.
Mas o núcleo da inflação ao consumidor atingiu 0,9 por cento
em março sobre o ano anterior, bem abaixo da meta, já que o
crescimento lento dos salários impede que os consumidores
aumentem seus gastos.
(Por Leika Kihara)
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS TH PD


Assuntos desta notícia

Join the Conversation