Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Claudia Violante e Paula Arend Laier
SÃO PAULO, 22 Jan(Reuters) – O mercado brasileiro começava a
semana sob a expectativa do julgamento em segunda instância do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira, com o
ambiente externo ajudando a levar o dólar abaixo de 3,20 reais e
deixando a bolsa sem tendência firme, após o Ibovespa renovar
máximas históricas.
As taxas dos contratos de DI tinham variações pequenas
também na expectativa da divulgação do resultado de janeiro da
prévia de inflação medida pelo IPCA-15 na terça-feira.
Veja como estavam os principais mercados financeiros pouco
depois das 12:30 desta segunda-feira:

CÂMBIO
O dólar operava em queda e abaixo de 3,20 reais nesta
segunda-feira, acompanhando a trajetória da moeda
norte-americana no exterior diante da paralisação do governo dos
Estados Unidos após falta de entendimento entre democratas e
republicanos no Senado.
Os investidores também estavam de olho no julgamento do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância,
que ocorrerá na quarta-feira e pode afetar a corrida eleitoral
deste ano.
O dólar encerrou o pregão passado no menor nível em três
meses e acumular queda de 3,41 por cento neste ano. O dólar
futuro recuava cerca de 0,03 por cento.
"A manutenção desse impasse (nos Estados Unidos) por mais
alguns dias impõe um viés de baixa para nossa estimativa de
crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre
do ano", trouxe o banco Bradesco em relatório.
O governo dos Estados Unidos foi paralisado neste fim de
semana após impasse político que impediu acordo para fechar o
Orçamento do país. Os senadores devem votar nesta tarde um
projeto de lei para fazer o governo voltar ao funcionamento até
o início de fevereiro.
Com isso, o dólar recuava ante uma cesta de moedas ,
mantendo-se perto da mínima de três anos, com a paralisação do
governo encorajando investidores a ampliar as apostas de baixa
contra a moeda norte-americana, enquanto o euro consolidava os
ganhos recentes.
O dólar também operava em baixa ante algumas divisas de
países emergentes, como o rand sul-africano e o peso
chileno .
Da cena interna, o mercado estava todo voltado para o
julgamento de Lula em segunda instância na ação do tríplex no
Guarujá, pela qual foi condenado a nove anos e meio de prisão.
Se o recurso for negado, ele pode eventualmente ficar de fora
das eleições à Presidência no final do ano.
O mercado avaliava que Lula seria um candidato menos
comprometido com o controle das contas públicas.
"O mercado reagirá com otimismo se ele for condenado por 3 a
zero, resultado que pode sustentar o dólar abaixo de 3,20
reais", afirmou a diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam
Tavares, referindo-se ao três desembargadores que farão o
julgamento em segunda instância e ao resultado que poderia
dificultar novo recurso do ex-presidente.
. Dólar/Real : -0,07%, a 3,1989 reais na venda;
. Euro/Dólar : +0,19%, a 1,2243 dólar;
. Dólar/Cesta de moedas : -0,11%

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

BOVESPA
O mercado acionário brasileiro não mostrava tendência clara
nesta segunda-feira, diante da ausência de uma direção única do
ambiente financeiro externo e com agentes financeiros na
expectativa do julgamento em segunda instância do ex-presidente
Luiz Inácio Lula da Silva nesta semana.
As ações da Eletrobras eram destaque positivo na sessão,
após o Palácio do Planalto enviar para o Congresso Nacional
projeto de lei que prevê a desestatização da companhia.
Apesar do comportamento comedido, o Ibovespa renovou mais
cedo nesta segunda-feira máxima histórica intradia a 81.436
pontos.
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região julga na
quarta-feira recurso do ex-presidente Lula, condenado à prisão
em primeira instância por corrupção passiva e lavagem de
dinheiro. Se condenado novamente, pode ficar inelegível.
Apesar de a perspectiva de que o ex-presidente possa se
tornar inelegível – e, com isso, ampliar as chances de vitória
de um candidato do centro – animar os mercados, conforme notou a
equipe da consultoria Rosenberg Associados, em nota a clientes,
alguns operadores não descartam cautela com a proximidade da
decisão, principalmente antes de feriado na cidade de São Paulo.
Também no radar estava a paralisação do governo
norte-americano, dado o impasse entre republicanos e democratas
sobre a aprovação de gastos de curto prazo.
No exterior, as bolsas da Europa também apresentavam
variações pequenas, assim como os índices acionários em Wall
Street e o petróleo mostravam alguma debilidade.

– ELETROBRAS ON subia 9 por cento e ELETROBRAS
PNB avançava 6 por cento, após envio ao Congresso
Nacional de projeto de privatização que prevê, entrou outras
questões, a capitalização da empresa por meio de uma oferta de
novas ações.

– BRASKEM PNA avançava 2 por cento, após a
Petrobras divulgar na sexta-feira que conversas com a
Odebrecht ODBES.UL para revisar o acordo de acionistas da
petroquímica evoluíram para uma reorganização societária com
unificação das espécies de ações da empresa. urn:newsml:reuters.com:*:nL1N1PE1UI

– PETROBRAS PN caía 0,55 por cento e PETROBRAS ON
PETR3.SA cedia 0,2 por cento, tendo ainda no radar o
enfraquecimento dos preços do petróleo no mercado internacional
LCOc1 CLc1 .

– BRADESCO PN BBDC4.SA ganhava 0,5 por cento, tendo como
pano de fundo melhora da recomendação de seus papéis pelo
JPMorgan para 'overweight' e elevação do preço-alvo para 42
reais. urn:newsml:reuters.com:*:nL2N1PH0DU
. Ibovespa .BVSP : -0,21%, a 81.049 pontos;
. Volume financeiro: 1,8 bilhão de reais
. Índice dos principais ADRs brasileiros .BR20 : -0,17%, a
24.786 pontos.
. Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
.PG.BVSP
. Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em
.PL.BVSP

BOLSAS DOS EUA
O índice de referência do mercado acionário dos Estados
Unidos S&P 500 abriu em baixa nesta segunda-feira, pressionado
por perdas das ações da Boeing, Apple e General Electric,
conforme a paralisação do governo norte-americano entrava no
terceiro dia.
. Dow Jones .DJI : -0,23%, a 26.012 pontos;
. Standard & Poor's 500 .SPX : -0,03%, a 2.809 pontos;
. Nasdaq .IXIC : +0,05%, a 7.339 pontos;

BOLSAS DA EUROPA
Os principais índices europeus operavam com pouca variação
nesta segunda-feira uma vez que os mercados focavam em uma série
de atividades de fusão e aquisição, com impacto limitado da
paralisação do governo dos Estados Unidos e com avanços de um
impasse político na Alemanha.
A farmacêutica francesa Sanofi SASY.PA caía após a empresa
anunciar a compra por 11,6 bilhões de dólares da especialista em
tratamentos de hemofilia Bioverativ BIVV.O , com alguns
operadores dizendo que o acordo parece caro.
Já a varejista online de luxo italiana Yoox Net-a-Porter
YNAP.MI tinha forte alta depois de a acionista Richemont
CFR.S decidir comprar a empresa.
A Ocado OCDO.L valorizava-se depois de assinar um acordo
com a Sobeys RIC:RIC:SOBEF.UL para desenvolver o negócio
online da segunda maior varejista de alimentos no Canadá.
O índice FTSEurofirst 300 .FTEU3 tinha alta de 0,29 por
cento, a 1.580 pontos.
Em LONDRES, o índice Financial Times .FTSE recuava 0,05
por cento, a 7.726 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX .GDAX subia 0,16 por cento, a
13.455 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 .FCHI ganhava 0,26 por cento, a
5.540 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib .FTMIB tinha valorização de
0,46 por cento, a 23.859 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 .IBEX registrava alta de 0,94
por cento, a 10.578 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 .PSI20 valorizava-se 0,79 por
cento, a 5.733 pontos.

JUROS
As taxas dos contratos futuros de juros registravam leves
oscilações nesta segunda-feira, com os investidores adotando
cautela antes da prévia da inflação e do julgamento do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância,
que poderá definir o futuro da corrida eleitoral deste ano.
"As movimentações da curva de juros deverão ser bem
contidas, na medida em que o mercado não deverá realizar grandes
apostas antes do IPCA-15 de janeiro e do desfecho do julgamento
do ex-presidente Lula", trouxe a corretora Renascença em
relatório.
Na terça-feira, será divulgada a prévia da inflação oficial
e a expectativa é de que o IPCA-15 tenha subido 0,44 por cento
em janeiro sobre o mês anterior, depois de avançar 0,35 por
cento em dezembro e acima do esperado, segundo pesquisa Reuters.
No acumulado de 12 meses, a alta deve ter ficado em 3,07 por
cento, voltando para a meta oficial do governo, de 4,5 por cento
pelo IPCA, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou
menos. Em 2017, a meta era a mesma mas a inflação ficou abaixo
do piso, a 2,95 por cento, sobretudo por conta da deflação nos
preços dos alimentos, segundo o Banco Central. urn:newsml:reuters.com:*:nL1N1P50M7
"Um resultado salgado (do IPCA-15 em janeiro) pode reduzir
um pouco as apostas de cortes de juros na curva", afirmou o
economista-sênior do Banco Haitong, Flávio Serrano.
Nesta manhã, a curva de juros mantinha apostas amplamente
majoritárias de corte de 0,25 ponto percentual da Selic em
fevereiro, com o restante vendo manutenção da taxa, segundo
dados da Reuters. BCBWATCH
Para março, as apostas de nova redução de 0,25 ponto
indicavam 24 por cento de chances, segundo operadores, ante 20
por cento na sexta-feira. Antes do IPCA de dezembro, essa
precificação chegou a 40 por cento, e perdeu força também com o
rebaixamento da nota brasileira pela Standard & Poor's.
Hoje, a Selic está em 7 por cento, mínima histórica.
Na quarta-feira, é a vez do julgamento em segunda instância
do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ação do tríplex no
Guarujá, pela qual foi condenado a nove anos e seis meses no
âmbito da operação Lava Jato.
Ele é considerado um candidato menos comprometido com
medidas de ajuste fiscal e, uma vez negado seu recurso, ele
poderia ficar de fora das eleições de outubro.
Veja as taxas dos principais contratos de DIs:
mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (%) (p.p.)
APR8 2DIJJ18 6,743 6,748 -0,005
JAN9 2DIJF19 6,925 6,915 0,01
JAN0 2DIJF20 8,09 8,08 0,01
JAN21 2DIJF21 8,93 8,93 0
JAN23 2DIJF23 9,72 9,69 0,03

DÍVIDA
. Treasuries de 10 anos US10YT=RR : rendimento em alta a
2,6463%, ante 2,639% no dia anterior;
. Global 26 BRAGLB26=RR : rendimento em alta a 4,3958%,
ante 4,379% no dia anterior.

PETRÓLEO
Os preços do petróleo recuavam nesta segunda-feira
pressionados pelo aumento da produção na Líbia e preocupações de
que o rali que elevou os preços para as máximas desde dezembro
de 2014 tenha perdido fôlego.
. Nymex – FEV/17 CLc1 : -0,11%, a 63,3 dólares por barril;
. ICE Futures Europe – Brent MAR/18 LCOc1 : -0,1%, a 68,54
dólares por barril.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; +55 11 5644 7764; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia