Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 4 Jan (Reuters) – O Ibovespa operava em alta de
cerca de 1 por cento nesta quinta-feira, renovando a máxima
histórica intradia e esticando o recente rali em meio ao
persistente bom humor com o cenário externo e a política local.
Neste mesmo ambiente, o dólar recuava frente ao real e as
taxas dos contratos futuros de juros tinham poucas variações.
Veja como estavam os principais mercados financeiros pouco
depois das 12:40 desta quinta-feira:

CÂMBIO
O dólar recuava frente ao real nesta quinta-feira, mantendo
o movimento nos dois pregões anteriores, de olho na cena externa
e nos esforços do governo do presidente Michel Temer para
aprovar a reforma da Previdência no próximo mês.
"O ambiente de menor aversão ao risco é sustentado pelo
otimismo que cerca o crescimento da economia mundial neste ano",
trouxe a SulAmérica Investimentos.
O dólar recuava ante uma cesta de moedas depois de se
recuperar na véspera da mínima de três meses, uma vez que dados
favoráveis dos Estados Unidos e a ata do Federal Reserve, banco
central do país, foram incapazes de tirar pressão da moeda
norte-americana.
O dólar também cedia ante divisas de países emergentes, como
os pesos mexicano e chileno .
Internamente, depois de ir abaixo de 3,25 reais nesta
semana, os investidores aguardavam novidades para tomar novas
posições.
"Temos uma agenda vazia em janeiro… Até lá, não vejo
grandes modificações nos níveis do dólar, que deve ficar entre
3,20 e 3,30 reais", disse o analista-chefe da corretora Rico
Investimentos, Roberto Indech.
O governo tem feito esforços, novamente, para tentar aprovar
a reforma da Previdência em fevereiro na Câmara dos Deputados e,
assim, dar sinal positivo aos agentes econômicos depois de não
conseguir colocar a matéria em votação no final de 2017.
. Dólar/Real : -0,2%, a 3,2303 reais na venda;
. Euro/Dólar : +0,49%, a 1,2071 dólar;
. Dólar/Cesta de moedas : -0,31%

MetaTrader 300×250

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista operava em alta nesta
quinta-feira, renovando a máxima histórica intradia e esticando
o rali recente, em meio ao persistente bom humor com o cenário
externo e a política local.
O bom humor recente levou o índice a fechar no azul nos oito
pregões anteriores, período em que acumulou alta de 7,31 por
cento, e renovar máximas de fechamento nas duas primeiras
sessões do ano.
No front local, o foco dos investidores está no julgamento
do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segundo instância,
no fim deste mês, e que pode tirá-lo da corrida eleitoral deste
ano, e nas articulações do governo para aprovar a reforma da
Previdência, que tem sua primeira votação no Congresso marcada
para fevereiro.
Na véspera, houve troca de cadeiras nos ministérios, com a
saída do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços,
Marcos Pereira, enquanto o governo indicou a deputada Cristiane
Brasil (PTB-RJ) para assumir o Ministério do Trabalho.
"A articulação política acelerou e o forte fluxo de entrada
de investidores estrangeiros corrobora com o rali da bolsa nesse
início de 2018", escreveram analistas da corretora Guide
Investimentos em nota a clientes.
No exterior, operadores destacam que os sinais seguem
positivos de fortalecimento das economias, mas com inflação
ainda enfraquecida, o que deve levar bancos centrais como o dos
Estados Unidos a manter um ritmo gradual de alta de juros.

– CSN ON avançava 4,9 por cento, após anunciar na
véspera reajuste de preços do aço para montadoras e outros
grandes clientes industriais. USIMINAS PNA tinha alta
de 5,5 por cento e GERDAU PN ganhava 3,3 por cento.

– PETROBRAS PN tinha alta de 1,1 por cento e
PETROBRAS ON ganhava 1 por cento, ainda reagindo ao
acordo assinado pela petroleira para encerrar ação coletiva nos
Estados Unidos, que prevê o pagamento de 2,95 bilhões de
dólares, o maior valor entre as ações coletivas nos EUA em uma
década, mas ainda abaixo do previsto por analistas, que
estimavam até 10 bilhões de dólares.

– VALE ON subia 1,9 por cento, em dia também
positivo para os contratos futuros do minério de ferro na China.

– BRADESCO PN subia 1,5 por cento e ITAÚ UNIBANCO
PN tinha alta de 1,5 por cento, ajudando a manter o
tom positivo do Ibovespa devido ao peso desses papéis em sua
composição. A sessão era positiva também para os demais bancos
do índice, com SANTANDER UNIT ganhando 1,4 por cento
e BANCO DO BRASIL ON em alta de 1,5 por cento.

. Ibovespa : +1,15%, a 78.892 pontos;
. Volume financeiro: R$2,6 bi.
. Índice dos principais ADRs brasileiros : +1,14%, a
23.939 pontos.
Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

BOLSAS DOS EUA
Os principais índices acionários dos Estados Unidos abriram
em patamares recordes nesta quinta-feira, com o Dow Jones
rompendo o patamar dos 25 mil pontos pela primeira vez após
dados fortes do mercado de trabalho privado norte-americano
aumentarem o otimismo.

. Dow Jones : +0,44%, a 25.033 pontos;
. Standard & Poor's 500 : +0,35%, a 2.722 pontos;
. Nasdaq : +0,29%, a 7.085 pontos;

BOLSAS DA EUROPA
O índice FTSEurofirst 300 tinha alta de 0,84 por
cento, a 1.546 pontos.
Em LONDRES, o índice Financial Times avançava 0,26
por cento, a 7.691 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX subia 1,42 por cento, a
13.162 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 1,55 por cento, a
5.413 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização de
2,47 por cento, a 22.444 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava alta de 1,68
por cento, a 10.286 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 valorizava-se 1,40 por
cento, a 5.615 pontos.

JUROS
As taxas dos contratos futuros de juros leves variações
nesta quinta-feira, corrigindo parte do forte recuo das últimas
sessões e em meio à pressão do leilão de títulos do Tesouro, o
primeiro do ano.
"Tivemos uma melhora forte dos ativos no começo do ano… é
natural alguma correção", afirmou o sócio-gestor da gestora Leme
Investimentos, Paulo Petrassi, ao acrescentar que o leilão de
títulos também traz pressão à curva de juros.
A taxa do DI com vencimento em janeiro de 2021 , um
dos mais negociados, recuou 0,21 ponto percentual nos dois
primeiros pregões de janeiro.
Os investidores devolveram nos últimos dias o hedge feito no
final do ano para eventual rebaixamento da nota de rating do
Brasil, depois que a votação da reforma da Previdência foi
adiada para fevereiro.
O movimento de correção ainda contava com a pressão do
leilão de títulos públicos, o primeiro que o Tesouro faz neste
ano. Irá ofertar até 3 milhões de Notas do Tesouro
Nacional-série F (NTN-F) com vencimento em janeiro 2029, papel
estreante, em meio à estratégia de ter mais flexibilidade na
oferta de títulos prefixados num ano que será marcado pelas
eleições presidenciais.
O Tesouro optou fazer leilões semanais de NTN-F,e não mais
quinzenalmente.
"O Tesouro testa a demanda pelo papel estreante em meio ao
menor nível da curva dos últimos meses", afirmou o operador da
Renascença Corretora Luís Felipe Laudísio, em relatório.
O trecho mais curto exibia viés de baixa, com a continuidade
da leitura de que haverá corte de juros básicos no próximo
encontro de do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco
Central, em fevereiro.
A curva de juros continuava precificando praticamente 100
por cento de chances de corte de 0,25 ponto percentual da Selic
no m6es que vem, segundo dados da Reuters.
Para o encontro de março, as apostas de novo corte de 0,25
ponto se mantinham em 40 por cento, igual à véspera, com o
restante vendo manutenção, segundo operadores. Atualmente, a
taxa Selic está em 7 por cento ao ano, menos nível histórico.

mês ticker último (%) fechamento variação
anterior (%) (p.p.)
APR8 6,72 6,725 -0,005
JAN9 6,76 6,775 -0,015
JAN0 7,92 7,92 0
JAN21 8,84 8,85 -0,01
JAN23 9,76 9,75 0,01

DÍVIDA
. Treasuries de 10 anos : rendimento em alta a
2,4761%, ante 2,445% no dia anterior;
. Global 26 : rendimento em queda a 4,2243%,
ante 4,293% no dia anterior.

PETRÓLEO
Os preços do petróleo tinham leves variações nesta
quinta-feira, após tocarem o maior patamar desde maio de 2015,
sustentados pelos protestos no Irã, o tempo frio nos Estados
Unidos, que puxa a demanda, e os cortes de produção liderados
pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).
. Nymex – FEV/17 : +0,15%, a 61,72 dólares por barril;
. ICE Futures Europe – Brent MAR/18 : -0,12%, a 67,76
dólares por barril.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644-7727; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia