Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 21 Nov (Reuters) – O dólar exibia leves
oscilações ante o real, as taxas dos DIs recuavam e o Ibovespa
subia nesta terça-feira, com os investidores mais animados com a
cena política local diante das negociações do presidente Michel
Temer para conseguir tirar do papel a votação a reforma da
Previdência.
Veja como estavam os principais mercados financeiros pouco
depois das 12h50 desta terça-feira:

CÂMBIO
O dólar exibia leves oscilações ante o real nesta
terça-feira, com os investidores de olho na cena política local
diante das negociações do presidente Michel Temer para conseguir
colocar em votação a reforma da Previdência.
"O viés é de queda (do dólar), com o investidor retomando um
pouco a confiança com relação à aprovação da reforma da
Previdência", afirmou o operador de câmbio da Correparti
Corretora, Ricardo Gomes da Silva Filho.
Temer passou o final de semana com negociações intensas para
costurar uma reforma ministerial que agrade a base e, assim,
conquistar votos para apreciar a reforma ainda neste ano.
Uma das movimentações foi a escolha de um deputado ligado ao
presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para
o Ministério das Cidades. O eleito foi Alexandre Baldy
(Podemos-GO), que deixou o partido nesta segunda para se filiar
ao PP e assumir a pasta.
Mas Temer ainda costura para agradar a bancada de deputados
do PMDB a fim de tentar ampliar sua base de apoio para aprovar a
versão enxuta da reforma da Previdência.
No entanto, nesta manhã Maia disse em entrevista à rádio CBN
que o governo ainda está "muito longe" de obter os 308 votos
necessários para aprovar a reforma, mas argumentou que o texto é
"fundamental e urgente" para o Brasil.
No exterior, o dólar operava praticamente estável ante uma
cesta de moedas , mas subia sobre algumas divisas de
emergentes, como o rand sul-africano e a lira turca
.
. Dólar/Real : -0,25%, a 3,2530 reais na venda;
. Euro/Dólar : +0,05%, a 1,1738 dólar;
. Dólar/Cesta de moedas : -0,16%

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista operava em alta nesta
terça-feira, com o tom positivo na volta do feriado amparado nas
articulações do presidente Michel Temer para a aprovação da
reforma da Previdência.
A primeira parte do pregão é marcada ainda por vencimento de
opções sobre ações, o que pode adicionar alguma volatilidade aos
negócios.
Apesar do calendário cada vez mais apertado devido à
proximidade do fim do ano e antes do período de campanha
eleitoral, o governo segue articulando sua base para tentar
emplacar um texto enxuto que altere pontos das regras para a
Previdência, o que é visto pelo mercado como crucial para as
contas públicas no médio prazo.
Neste cenário, Temer escolheu um deputado ligado ao
presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para o Ministério
das Cidades e ainda costura para agradar a bancada de deputados
do PMDB. A Reuters informou na véspera que o deputado Alexandre
Baldy deve ser indicado oficialmente nesta terça-feira pelo
presidente para assumir a pasta.
"A aproximação e entendimento entre Maia e Temer sugere
acomodação política e chance real de tramitação da reforma
previdenciária", escreveram analistas da corretora Lerosa
Investimentos, em nota a clientes.

– CEMIG PN avançava 2,4 por cento, reagindo ao
acordo fechado com os principais bancos credores para
refinanciar até 4 bilhões de reais em dívidas de curto e médio
prazos.

– COSAN ON subia 2,9 por cento, após sua
controladora Cosan Limited informar que iniciará nesta
terça-feira uma oferta para recompra de até 200 milhões de
dólares de ações ordinárias Classe "A" na Bolsa de Nova York. Na
véspera, os papéis subiram quase 9 por cento no mercado
norte-americano, após o anúncio da oferta.

– PETROBRAS PN tinha alta de 1,2 por cento e
PETROBRAS ON ganhava 1,3 por cento, em dia positivo
para os preços do petróleo no mercado internacional.

– VALE ON subia 2,3 por cento, em sessão de alta
para os contratos futuros do minério de ferro na China.

– ITAÚ UNIBANCO PN avançava 1,9 por cento e
BRADESCO PN tinha valorização de 1,9 por cento,
ajudando o tom positivo do índice devido ao peso desses papéis
em sua composição.

– GOL PN e AZUL PN , que não fazem
parte do Ibovespa, subiam 6,9 por cento e 4,6 por cento,
respectivamente, após o JP Morgan elevar o preço-alvo para as
ações das duas empresas. No caso da Gol, o novo preço é de 16,50
reais, acima dos 12,50 reais anteriormente, enquanto para a
Azul, o novo preço é de 37 reais, ante 35 reais.

. Ibovespa : +1,62%, a 74.623 pontos;
. Volume financeiro: R$6,6 bi.
. Índice dos principais ADRs brasileiros : +0,93%, a
22.486 pontos.
Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

BOLSAS DOS EUA
Os principais índices acionários dos Estados Unidos abriram
em alta nesta terça-feira, com o Nasdaq atingindo pontuação
recorde, liderados por ganhos em ações do setor de tecnologia.

. Dow Jones : +0,59%, a 23.567 pontos;
. Standard & Poor's 500 : +0,54025%, a 2.596 pontos;
. Nasdaq : +0,85%, a 6.848 pontos;

BOLSAS DA EUROPA
O índice FTSEurofirst 300 tinha alta de 0,68 por
cento, a 1.528 pontos.
Em LONDRES, o índice Financial Times avançava 0,41
por cento, a 7.419 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX subia 1,06 por cento, a
13.197 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 0,77 por cento, a
5.381 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização de
0,84 por cento, a 22.376 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava alta de 0,14
por cento, a 10.039 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 valorizava-se 0,23 por
cento, a 5.292 pontos.

JUROS
As taxas da maioria dos contratos futuros de juros operavam
em queda nesta terça-feira diante das articulações do presidente
Michel Temer para ampliar sua base de apoio e conseguir aprovar
uma versão enxuta da reforma da Previdência em breve.
Com isso, cresceram também as apostas de que o Banco Central
pode entrar em 2018 reduzindo a taxa básica de juros, com as
expectativas de que as contas públicas do país poderiam estar
no caminho para se equilibrarem.
"Com Maia mais satisfeito, os sinais ao mercado podem ser
mais positivos e, caso seja aprovada a reforma da Previdência,
(as expectativas de) juros a 6,5 por cento em 2018 se renovam",
afirmou o economista-chefe da gestora Infinity Asset, Jason
Vieira, referindo-se à Selic, hoje a 7,50 por cento ao ano.
Temer escolheu o deputado Alexandre Baldy (Podemos-GO),
ligado ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia
(DEM-RJ), para o Ministério das Cidades. O parlamentar deixou o
partido para se filiar ao PP e assumir a pasta. Temer também
seguia negociando para agradar a bancada do PMDB.
Nesta manhã, no entanto, Maia disse que o governo está
"muito longe" de obter os 308 votos necessários para aprovar o
texto. Em entrevista à rádio CBN, ele disse ainda que a reforma
é fundamental e urgente para o Brasil.
A curva a termo precificava nesta sessão cerca de 95 por
cento de chances de redução de 0,50 ponto percentual da Selic em
dezembro, ante cerca de 75 por cento na sexta-feira, com o
restante indicando corte de 0,25 ponto, segundo dados da
Reuters.
Para 2018, também cresceram as apostas de redução de 0,25
ponto percentual em fevereiro, na primeira reunião do Comitê de
Política Monetária (Copom) do BC no ano. Segundo operadores,
elas estava em torno de 75 por cento, frente a menos de 70 por
cento na sessão anterior.
Atualmente, a Selic está em 7,50 por cento ao ano, após dois
cortes de 0,25 ponto, seguidos de dois de 0,75 ponto, quatro de
1 ponto e mais um de 0,75 ponto.
mês ticker último (%) fechamento variação
anterior (%) (p.p.)
JAN8 7,117 7,145 -0,028
APR8 6,935 6,94 -0,005
JAN9 7,2 7,21 -0,01
JAN21 9,24 9,31 -0,07
JAN23 10,01 10,11 -0,1

DÍVIDA
A curva de rendimento dos Treasuries achatou para o menor
patamar em uma década nesta terça-feira, conforme investidores
aguardavam a ata da última reunião do Federal Reserve, sem
grandes dados econômicos a serem divulgados este asemana e com a
negociação reduzida antes do feriado do Dia de Ação de Graças
nos Estados Unidos.
. Treasuries de 10 anos : rendimento em queda a
2,3417%, ante 2,37% no dia anterior;
. Global 26 : rendimento em queda a 4,4129%,
ante 4,414% no dia anterior.

PETRÓLEO
Os preços do petróleo subiam nesta terça-feira, com
investidores à espera de uma reunião na próxima semana em que os
principais exportadores de petróleo devem prolongar os cortes de
oferta, embora o aumento da produção nos Estados Unidos limite
os ganhos.
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep)
deve concordar em prolongar os cortes, na medida em que os
níveis de estoque permanecem elevados apesar das recentes
restrições de oferta.
Ainda há dúvidas sobre a determinação de alguns
participantes em manter os cortes, mas o maior problema para a
Opep tem sido o aumento da perfuração nos EUA, puxada pelos
produtores de petróleo de xisto.
A consultoria de energia Westwood Global Energy Group
informou que a produção dos Estados Unidos aumentará ainda mais
rápido do que esperado dado o crescente número de plataformas,
que saltou de 316 na metade de 2016 para 738 na semana passada,
uma vez que aumentou a produtividade por poço.
. Nymex – JAN/17 : +1,12%, a 57,05 dólares por barril;
. ICE Futures Europe – Brent JAN/18 : +0,74%, a 62,68
dólares por barril.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644-7727; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia